A Itália no prato: cuscuz siciliano


O cuscuz siciliano é um dos melhores símbolos da miscigenação cultural e culinária da Sicília. Prato antigo e tipicamente mediterrâneo, o cuscuz nasceu no Norte da África e aos poucos chegou no sul da Europa e em países do Oriente Médio como Israel e Líbano. Visitar a ilha sem experimentar essa especialidade é como visitar Roma e não comer a famosa pasta cacio e pepe!

A origem do cuscuz siliciano

O cuscuz siciliano (cuscus ou cous cous em italiano) é, na verdade, um prato típico da província de Trapani, uma área geográfica que há séculos mantém frequentes contatos comerciais com a Líbia e a Tunísia. É consumido principalmente nas cidades de Trapani, Marsala, Mazara del Vallo, na ilha de Favignana e em San Vito Lo Capo, sede do Cous Cous Fest, o festival internacional organizado todos os anos no fim de setembro.

O cuscus trapanese é um prato do dia a dia, como o arroz e feijão brasileiro, preparado com a semolina, um produto derivado da sêmola de trigo.

Ao contrário do cuscuz marroquino, feito com carnes e verduras, o cuscuz trapanese clássico é preparado com uma mistura de frutos do mar.

Leia mais sobre Trapani e Marsala | Roteiro entre Trapani a Marsala

Cuscuz siciliano

Uma das 1001 apresentações do cuscuz siciliano


A receita do cuscuz siciliano (ou trapanese)

A receita original é lunga e trabalhosa porque a massa granulada do cuscuz precisa ser feita a mão utilizando a farinha de sêmola de trigo duro. Em alguns restaurantes da região de Trapani, o cuscuz ainda é feito dessa forma.

No entanto, para facilitar a vida moderna, existe a massa pré-cozida, muito fácil de usar. No Brasil pode ser encontrada nas grandes redes de supermercados ou em empórios de produtos típicos importados.

O uso da semolina como ingrediente base é uma das principais diferenças em relação ao cuscuz brasileiro, preparado com farinha de milho tanto nas versões nordestinas quanto na paulista.

A versão trapanese é salgada como o cuscuz paulista (o cuscuz nordestino é quase sempre doce, a não ser quando é usado como acompanhamento).

Apesar de existirem dezenas de receitas de cuscuz, até mesmo vegetariana, dizem os sicilianos que a receita original é a seguinte:

Ingredientes para 4 pessoas

  • 300 de cuscuz (semolina)
  • 1 kg de vários tipos de peixe fresco (cortado em pedaços, separando cabeça e rabo)
  • 300 g de molho de tomate (grosso)
  • 50 g de amêndoas tritadas
  • 2 cabeças de alho
  • 2 cebolas
  • 2 folhas de louro
  • 1 talo de salsão
  • açafrão, sal e pimenta a gosto
  • azeite extravirgem

Modo de preparo

Em uma panela de tamanho médio, coloque as cabeças e os rabos dos peixes, uma folhas de louro, o salsão e uma cebola. Cubra com água e deixe cozinhar durante por uma hora ou até o peixe ficar bem cozido.

Deixe esfriar e passe o caldo no coador. Reserve o peixe e o caldo.

Trite a outra cebola, o alho e a salsinha. Coloque tudo numa frigideira com azeite para refogar e deixe dourar por alguns minutos, sem queimar.

Coloque o molho de tomate, a folha de louro, o peixe em pedaços e um pouco de caldo.

Adicione o açafrão em pó e as amêndoas. Deixe cozinhar por 20 minutos. Adicione sal e pimenta a gosto.

Retire o peixe e reserve.

Coloque o cuscuz numa vasilha, adicione 3 colheres de sopa de azeite e 300 g de caldo de peixe fervente. Misture delicadamente e abafe por 10 minutos ou até o caldo ser absorvido completamente.

Coloque o cuscuz numa travessa, solte os grãos com um garfo e misture com o molho de peixe. Decore com peixe em pedaços e sirva o caldo à parte.

Buon appetito!

Cuscuz siciliano

Cuscuz siciliano decorado com pedaços de peixe


Guarde no Pinterest para ler depois

Cuscuz siciliano




0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.