ramblas-barcelona

Barcelona: 5 coisas que você precisa saber


Barcelona é uma das cidades mais interessantes da Europa. Estive lá pela primeira vez em 1990, quando ainda não estava na moda, e voltei recentemente. Mas poderia voltar mais duas, três, quatro vezes….Barcelona é sempre uma novidade. Moderna, antiga, boêmia, descontraída, tradicional, arrojada…

Mas como toda meta turística badalada, Barcelona requer um certo cuidado. Não somente porque é uma cidade grande e alvo do turismo de massa durante o verão, mas principalmente porque é uma cidade poliédrica, rica de história e peculiaridades. Um bom planejamento vai ajudar você a entender a sua fisionomia e a descartar tudo aquilo que está descaracterizado e super-inflacionado.

dicas-turista-imperfeito

1. Barcelona fica na Catalunha

E daí? Bom, esta é uma das características mais importantes – talvez a mais importante – de Barcelona.

Barcelona é a capital da Catalunha, comunidade autônoma da Espanha além de principal centro econômico. A Catalunha é reconhecida como uma “nacionalidade” no seu Estatuto de Autonomia.

Esta simples palavra – nacionalidade – para os catalães significa separatismo, nacionalismo arraigado e independência da Espanha.

Os catalães possuem uma forte identidade cultural e um idioma local (o catalão), muito diferente do espanhol, reconhecido como língua oficial.

Então nada é mais natural que em Barcelona você respire a ânsia da Catalunha em colocar na vitrine as jóias de família: a arte, a gastronomia e o espirito trabalhador. Os catalães fazem questão de mostrar que eles dão duro prá valer e não são “preguiçosos” como os primos espanhóis…

Esta identidade é uma das marcas registradas da cidade. Não esqueça que a Catalunha é a pátria de Gaudí, Dalí e Miró. O exemplo mais tangível é a presença maciça das obras do modernismo catalão, movimento artístico que se desenvolveu entre o fim do seculo XIX e o começo do seculo XX, cujo máximo expoente é justamente Gaudí.

O movimento, variação do Art Nouveau europeu na opinião de muitos intelectuais, tenta resgatar a cultura tradicional catalã, com nuances de nacionalismo.

Aproveite, em Barcelona você vai encontrar as obras mais bonitas.

2. Barcelona é a cidade dos dragões

Dizem que em Barcelona existem 400 dragões espalhados pelas fachadas, tetos, estátuas e parques. Esta figura mitológica que encanta em qualquer idade está ligada a São Jorge, padroeiro da cidade e da Catalunha desde 1456.

A lenda de São Jorge (Sant Jordi em catalão) é muito popular da Catalunha. A lenda narra que num  lugar longínquo chamado Silene (talvez na Líbia), um dragão amendrontava os habitantes que, para acalma-lo, ofereciam-lhe periodicamente um cordeiro e uma donzela escolhida por sorteio. Um dia a sorteada foi a filha do rei. Para salva-la da morte, São Jorge e o seu cavalo branco lutam com o dragão, matando-o com a espada e libertando a donzela.

O sangue que jorrou da ferida do dragão transformou-se numa linda rosa vermelha. Dizem que para relembrar a antiga lenda, em Barcelona desde o século XV,  se celebra a Feira das Rosas na praça de Sant Jaume, sede do Governo da Catalunha.

E a devoção ao santo não acaba aqui. Em toda a Catalunha, durante a celebração de São Jorge, no dia 23 de abril, as ruas ficam copertas de rosas e os homens oferecem uma rosa vermelha às companheiras. Em troca, como sinal de gratidão, elas os presenteiam com um livro. É o dia dos namorados catalão.

Diz o ditado: no dia de São Jorge, uma rosa e um livro.

Na realidade a troca com o livro nasceu depois de 1926, quando a Espanha decretou o dia 23 de Abril como Dia do Livro, pois esta data coincide com a morte de Cervantes. A coincidência com o dia do Santo Padroeiro tornou esta data a mais comemorada de Barcelona.

O apego do catalão ao dragão de São Jorge contaminou por sua vez a arte e a arquitetura. Passeando pela cidade você vai encontrar muitos dragões, alguns muito antigos, medievais, principalmente do Barri Gòtico (Bairro Gótico), próximo a Catedral de Barcelona. Outros estão encravados nas obras modernistas do bairro Eixample. O maior fã da figura mitológica foi Gaudì –  mas não foi o único – que usou e abusou do dragão, em todas as versões.

3. Barcelona não combina com bate-volta

A cidade merece uma visita, com V maiúscula. Evite passar uma manhã ou somente um dia, principalmente na alta temporada (julho e agosto) quando você vai encontrar filas em todo lugar, atrações lotadas e corre-corre.

Quem já leu outros artigos do blog sabe que uma das nossas regras para viajar bem é “curtir a atmosfera” do lugar. Em Barcelona esta regra é essencial – e ainda mais importante –  do que em outras grandes cidades. Assim que você chegar, vai perceber que a cidade tem mil faces e precisa de tempo para ser desvendada.

Por isso não fique em Barcelona menos de dois dias e escolha bem as atrações que deseja visitar, reservando tempo para perambular sem destino nas belíssimas alamedas, parques e ruelas da cidade.

churros-barcelona

Curta com calma os sabores típicos de Barcelona, churros com chocolate quente

4. Em Barcelona, procure Barcelona

Nada de clichês turísticos espanhóis em Barcelona. Se você está procurando por flamenco e fiesta… Barcelona não é o lugar. Você não vai encontrar nada disso por lá. Aliás, vai até encontrar tudo isso nas Ramblas, mas nada é típico da cidade. São somente chamativos para turistas desavisados.

Evite lojas e restaurantes que oferecem produtos típicos de outras regiões espanholas, como Andaluzia e País Basco.

O que procurar em Barcelona? Arte, parques, arquitetura, praia, noitada, gastronomia…

As atrações em Barcelona são realmente infinitas. Um bom roteiro deve incluir pelo menos as obras modernistas de Antoni Gaudi e Lluís Domènech i Montaner, que valem a viagem, além dos museus de Picasso e Miró.

Para entender a complexidade deste movimento artístico é preciso entrar pelo menos em uma das casas em estilo modernista. Por fora são surpreendentes, mas dentro são especiais, às vezes parecem pregar peça no visitante.

  • Casa Milà ou La Pedrera: casa icônica de Barcelona, projetada por Gaudí em 1912. Fica no Passeig de Gràcia, uma das ruas mais elegantes da cidade.  Na realidade a casa é um bloco de apartamentos, tão original que foi o primeiro edifício do século XX a ser declarado Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, em 1984. Mas o lugar mais procurado da Casa Milà é o terraço ondulante repleto de chaminés com fragmentos de mosaicos.
  • Casa Lleó Morera – obra modernista do arquiteto Montaner (1905), localizada no Passeig de Gràcia.
  • Casa Amatller – construída em 1900 por Cadafalch, famosa porque suas janelas têm a forma da letra A, iniciais do seu dono, Antoni Amatller. Em estilo holandês com detalhes góticos e esculturas de animais e de São Jorge. Fica no Passeig de Gràcia.
  • Casa Batlló – outra obra do mestre Gaudí, localizada no Passeig de Gràcia. Conhecida pela figura de São Jorge e pelos mosaicos azuis e verdes da fachada que lembram a pele escamada de um dragão e o telhado curvo o seu dorso.
  • Palau Güell: outra criação de Gaudí (1890), localizada na Carrer Nou de la Rambla. Considerada Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO.

O roteiro modernista termina na Avenida Diagonal, onde vai encontrar indicações para ir à Basílica da Sagrada Família, sem dúvida, a mais impressionante construção de Barcelona. Esta catedral de tamanho colossal, iniciada por Gaudí, ficou inacabada. A fachada e a cripta foram declaradas Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO, em 2005. É um templo expiatório, construído com os donativos dos fiéis. As obras para completar o templo são financiadas pelo dinheiro arrecadado com os ingressos.

Muito interessante também é o roteiro dos parques::

  • Parc Guëll (mais uma obra de Gaudí),
  • Parc de la Ciutadella,
  • Parc de la Creueta del Coll (com piscina de 6000 metros quadrados),
  • Parc Joan Miró.

Acredite, em menos de dois dias é quase impossível visitar estas atrações que representam somente uma parte do acervo artístico e cultural da cidade.

 5. Barcelona é muito mais do que Ramblas

Ok…em Barcelona tem que passear nas Ramblas, até porque são as principais artérias do centro. Voltei à Barcelona depois de mais de vinte anos e fiquei espantada com a transformação deste calçadão urbano em uma sequência sem fim de lojas de souvenir sem valor e de comidas típicas de mentirinha.

Um passeio rápido é mais do que suficiente, não perca muito tempo nelas. São turísticas demais. Reserve tempo para visitar outras atrações, que considero muito mais genuínas.

  • Barri Gòtic: baricentro histórico e político da cidade, um emaranhado de ruas medievais – às vezes meio sinistras – que se encontram em praças repletas de bistrôs e lojinhas. Merece uma visita descontraída (mas de olho aberto…leia aqui embaixo), passando pelas principais atrações: a Catedral de Barcelona, exemplo de arquitetura gótica catalã, Plaça Reial (muito agradável à noite), Plaça Sant Jaume (uma das mais gostosas da cidade) e Igreja Santa Maria del Pi, uma obra-prima do gótico construída nos séculos XIV-XVO bairro tem um contra: o turismo de massa trouxe muitos carteirinhas, pensões de péssima qualidade, sujeira nas vielas.
  • Mercat de la Boqueria: mercado turistico mas característico. Espetáculo de cores e sabores. Vale uma paradinha para bater fotografias e experimentar um suco ou uma refeição rápida.
  • Barceloneta: bairro criado em meados do século XVIII para estivadores e pescadores. Foi restaurado para as Olimpíadas e hoje em dia é “A Meta” da rapaziada européia em julho e agosto. Não deixa de ser uma praia agradável, com bares e restaurantes na beira-mar.
  • Praias de Barcelona: sao 5 km de “calçadão” e água limpa. Lugar ideal para descansar e relaxar.
  • Bairro Eixample: este bairro modernista merece um destaque especial pela elegância e qualidade arquitetônica. Aqui ficam ruas muito conhecidas como a chiquérrima Passeig de Gràcia, a Praça da Catalunha, a Avenida Diagonal, além das casas de Gaudí e da Sagrada Família. Ótimo para hospedagem porque fica perto de tudo e tem uma boa rede de metrô e ônibus. Apesar de ter bons bares e restaurantes, à noite não tem muita badalação e não é zona boêmia.
casa-pedrera-barcelona

Casa Milà ou La Pedrera em Barcelona

 

2 respostas
  1. Fernando
    Fernando says:

    Estou organizando uma viagem para a Espanha com parada em Barcelona. Que você saiba existe um tour organizado com foco em São Jorge e dragões? Obg

    Responder
    • Adelaide
      Adelaide says:

      Oi, sim tem varios roteiros incluindo dragoes, mas nao sei se sao em portugues. Procura em google “rutas de los dragones”. Voce vai achar varias opçoes.

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *