A Capela Dourada do Recife: arte e história


O melhor título para esse post seria Se a Capela Dourada ficasse na Itália”…a fila daria a volta no quarteirão. Mas estamos no Brasil, em Recife e, no lugar da fila, encontramos o descaso das instituições, apesar do imenso valor artístico e histórico de um dos marcos do período colonial brasileiro.

A Capela Dourada é lindíssima, muito bem preservada mas pouco valorizada, praticamente escondida na Rua do Imperador, onde aliás ficam outros monumentos importantes. Apesar da valorização do centro histórico da cidade, a capela ainda não ganhou o destaque que merece.

Uma pena. Na Itália, considerada mundialmente um museu a céu aberto, um monumento como esse seria bem sinalizado, divulgado pelos sites institucionais e especializados no setor, teria painéis informativos ao lado das obras mais importantes, um museu bem organizado e uma lojinha com produtos relacionados para arrecadar fundos. E principalmente teria una longa fila de visitantes do lado de fora.

Nada disso existe na Capela Dourada. Mas mesmo assim a visita vale a pena. Porque é simplesmente imperdível se você gosta de explorar a história do Brasil em um dos seus momentos de maior esplendor.

O que é a Capela Dourada

A Capela Dourada, também conhecida como Capela dos Noviços, é uma capela em estilo barroco-rococó da Ordem Terceira de São Francisco de Chagas, irmandade fundada em Recife no século XVI. Os Irmãos Terceiros eram geralmente comerciantes de grandes posses, principalmente portugueses, conhecidos pejorativamente como mascates.

A capela, símbolo de opulência e poderio, foi construída pelo irmão terceiro Antônio Fernandes de Matos, rico mestre-pedreiro português, durante o apogeu pernambucano. Naquela época a capitania era controlada pelos senhores de engenho, nobres e ricas irmandades.

A capela faz parte do vizinho complexo de edifícios do Convento e Igreja de Santo Antônio, outro monumento valioso da cidade, separados por uma grade de ferro. Aqui no blog tem um post inteirinho sobre o convento e a igreja.

A Capela, tombada desde 30 de novembro de 1937 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Geográfico Artístico Nacional (IPHAN), é considerada um Monumento Nacional.

detalhe da capela dourada

Detalhe das talhas douradas e dos azulejos portugueses


Dentro da Capela Dourada

A construção da capela foi iniciada em 1696 e, em 1697, foi aberta ao público, um recorde na época. Foi concluída somente em 1724. Na capela trabalharam famosos artistas pernambucanos e portugueses.

Na Capela Dourada o que não foi pintado foi completamente entalhado em cedro e recoberto em gesso e lâminas de ouro. As pinturas das paredes, feitas entre 1699 e 1700, e as do teto, entre 1700 e 1702, estão entre as mais representativas do Brasil. O autor dos nove painéis representando os santos franciscanos foi provavelmente José Pinhão de Matos, artista português, o mesmo que  em Salvador, Bahia, executou as pinturas para a Igreja da Ordem Terceira de Nossa Senhora do Carmo.

Todas as imagens da Capela Dourada vieram de Portugal, exceto Nossa Senhora, Padroeira dos Noviços, que em meados de 1800, foi esculpida em cedro pelo artista pernambucano Manuel da Silva Amorim.

O arco da capela-mor, o cruzeiro, o grande arco para o convento e os móveis da sacristia, em jacarandá, são obras de Luís Machado, do século XVII. O teto, quase mais bonito do que as paredes, é dividido em caixotões para painéis pintados a óleo.

A capela-mor, entalhada pelo português Antônio Martins Santiago em 1698, e dourada por Manuel de Jesus Pinto em 1799, apresenta um nicho central para um grande crucifixo e nichos laterais para São Cosme e São Damião.

Ao longo das paredes laterais existe uma série de painéis de azulejos portugueses, de 1704, com cenas campestres e de caça, de autoria do artista português Antônio Pereira. Dois longos painéis ilustram o martírio dos franciscanos, conhecidos como os vinte e seis mártires do Japão sacrificados na cidade de Nagasaki em 1597 durante a perseguição do Cristianismo.

Na sacristia existe ainda um mobiliário esculpido em jacarandá, confeccionados em 1762, além de uma mesa de mármore e de um lavabo importados da cidade portuguesa de Estremoz.

Enfim, um lugar de rara beleza que pede para ser homenageado com uma visita até rápida, entre um passeio na praia de Boa Viagem e uma cerveja nos bares do Marco Zero.

capela dourada

Pinturas e paredes entalhadas e recobertas de ouro. Os trabalhos em madeira são feitos com madeira de jacarandá

capela dourada

A Capela Dourada e a grade de ferro que a separa da Igreja de Santo Antônio


teto da capela dourada

O maravilhosos teto pintado da Capela Dourada


Onde fica e quando visitar a Capela Dourada

Endereço | Rua do Imperador s/n Recife

Telefones | 081-32240530 / 32240994

Horário | Segunda-Sexta: 8:00 h – 11:30 h e 14:00 h- 17:00 h. Sábado: 8:00 – 11:30 h.

Entrada | 5 reais.


claustro da capela dourada

O claustro onde fica a entrada da Capela Dourada


Fotos: Adelaide Pereira (Todos os direitos reservados)

1 responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] Turista Imperfeito: neste texto a Adelaide fala sobre um dos passeios que fez no Recife, a Capela Dourada. Além deste texto há muitos outros com dicas excelentes de lugares para viajar. Vem conhecer este blog e sonhar um pouco com sua próxima viagem. Leia Mais. […]

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *