Cidade das Artes e das Ciências, a Valência de Calatrava


A Cidade das Artes e das Ciências em Valência é um verdadeiro pomo da discórdia não só entre os valencianos. Mas o sonho futurista do visionário Santiago Calatrava é uma atração imperdível que leva crianças e adultos até um mundo surreal que talvez  nunca chegue a existir.

A única coisa certa ao entrar na Cidade das Artes e das Ciências é que você não ficar ficar indiferente. Há quem fale em obra-prima de primeira grandeza, como eu, e quem ache que seja uma obra-vergonha e, ainda por cima, completamente inútil, um faraônico elefante branco. Entre os dois extremos, fica o fato que foi uma obra extremamente cara e, ainda hoje, há 23 anos do primeiro tijolo,  é um abacaxi que os valencianos não descascaram e não aprenderam a tirar proveito.

Mas como ignorar a beleza das obras e a ousadia arquitetônica de Calatrava?  Onde ele constrói, deixa um legado importante. Como aconteceu com o Museu do Amanhã, na histórica Praça Mauá no Rio de Janeiro.

Tentando relativizar, eu diria que é muito difícil julgar de longe a obra de Calatrava. Precisa vê-la com os próprios olhos.

É o caso de Valência. Querendo ou não, a Cidade das Artes e das Ciências, “a cidade na cidade”, é uma presença marcante, um símbolo icônico, quase como a deliciosa paella.  E quer saber? Acho que compete acirradamente com os monumentos do centro histórico.

Vamos conhecê-la.

cidade das artes e das ciências

Os lindos edifícios da Cidade das artes e das ciências


Sobre a Cidade das Artes e das Ciências

Nascida dos traços geniais de Santiago Calatrava, arquiteto, engenheiro e artista valenciano, hoje naturalizado suíço, e do arquiteto madrilenho, Félix Candela, a Ciutat de les Arts i les Ciències, em valenciano, é um complexo arquitetônico localizado na zona sudeste de Valência, no antigo leito do Rio Turia.

As linhas arquitetônicas do complexo remetem às curvas arrojadas e aos esquemas geométricos típicos de Calatrava. O branco é a cor dominante que contrasta com o azul cristalino dos espelhos d’água e a frieza do concreto, do aço e do vidro.

Alguns edifícios tem formas vazadas, que lembram o Museu do Amanhã, outros tem formas inusitadas como um olho, uma baleia, uma ossada, uma concha. São exemplos emblemáticos da arquitetura orgânica que vão encantar os pequenos.

Como geralmente acontece com as obras de Calatrava, a Ciutat também dá a impressão de pouca praticidade e os espaços imensos parecem pouco aproveitados. Mas perante tanta beleza, nós humildes mortais, aceitamos até os errinhos que ele pode ter cometido… kkk

O complexo ocupa uma área imensa, aprox. 350.000 mq, e abriga cinco estruturas principais que tratam três áreas temáticas (ciência, arte e natureza), além de uma ponte e uma praça.

As cinco estruturas são conhecidas com nomes valencianos:

  • L’Hemisfèric | imenso edifício del 14.000 mq com forma de olho, representando a sabedoria e o conhecimento. Foi o primeiro edifício a ser aberto ao público e abriga  um Cinema Imax, telão de 900 mq e cinema digital 3D;
  • El Museu de les Ciències Príncipe Felipe | Museu interativo de ciências, tecnologia e ecologia, com atividades lúdicas para crianças e crionças;
  • L’Umbracle | galeria vazada com 55 arcos fixos e 58 suspensos, atravessada por uma trilha rodeada por com plantas mediterrâneas e tropicais; usado como mirante dos edifícios principais. Na galeria ficam também o Paseo del Arte, uma exposição permanente de esculturas e o Jardín de Astronomía, uma exposição interativa e lúdica sobre a astronomia;
  • L’Oceanogràfic | projetado por Félix Candela, é o maior aquário oceanográfico da Europa; abriga seis ecossistemas (mediterrâneo, pântanos e lagoas, mares tropicais, oceanos, Antártico, Ártico, ilhas e Mar Vermelho). O delfinário é um dos maiores do mundo, com uma profundidade de 10,5 metros;
  • El Palau de les Arts Reina Sofía | teatro, ópera e centro artístico e musical de avanguarda.
L'Hemisfèric

L’Hemisfèric, obra de Calatrava


museu de les ciències

O Museu de les Ciències


Oceanogràfic

L’Oceanogràfic


Completam o complexo, uma praça, chamada Ágora, e a ponte El Puente de l’Assut de l’Or, cujo pilar de 125 metros de altura é o ponto mais alto da cidade.

Cidade das Artes e das Ciências

Uma parte do complexo, com a Ágora no fundo


Calatrava

E não deixe de visitar o complexo á noite!


Como visitar a Cidade das Artes e das Ciências

Preços das entradas

O ingresso ao complexo é completamente gratuito. No entanto, a visita aos edifícios é paga.

Os preços variam desde 8,00 euros (para o Hemisfèric e o Museu de les Ciències) até 30,70 euros para o Oceanogràfic.

Consulte o site oficial para checar todos os tipos de combinação de entradas para economizar um pouco.

Site oficial | Cidade das Artes e das Ciências

Tempo de visita

A visita por fora não dura menos de duas horas, sem contar o tempo para visitar o Oceanário e o Museu.

Como chegar até a Cidade das Artes e das Ciências

ônibus | linhas da companhia EMT: 13, 14,15, 19, 35, 95 e 40.

metrô | linhas 3 e 5, parada Alameda (a 15 minutos a pé).

bicicleta | com Valenbisi, o sistema municipal de aluguel.



Guarde no Pinterest para ler depois

2 respostas
  1. Adelaide says:

    Olá Ângelo,
    eu gostei muito do complexo de Calatrava. Acho que uma visita a Valência vale muito a pena.
    Até a próxima!

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.