Comida de rua italiana: Região Norte


Porque falar sobre comida de rua? E ainda por cima italiana, pátria da lasagna? Porque comida de rua (o tal do street food) é muito mais do que um modo para economizar durante a viagem.

Comida de rua é tradição e cultura, antes de tudo. Um tipo de alimentação que existe no mundo inteiro e abrange 2,5 bilhões de pessoas conforme os dados da FAO (2007). Já existia na época dos Gregos e Romanos e por muitos séculos alimentou as camadas mais pobres da população que não tinham cozinha em casa. São alimentos baratos e fáceis de preparar.

Hoje em dia, em muitos países, é uma importante fonte de renda para as famílias menos favorecidas, além de facilitar o acesso à alimentação devido ao preço baixo. Na África, por exemplo, a comida de rua alimenta 80% da população urbana!

Nos últimos anos o assunto  entrou no repertório de jornal, revista, blog…No Brasil, como na Itália. Virou moda e, de repente, todo mundo gosta e não tem mais medo de comer comida de rua. Uma invasão de receitas, barraquinhas, food trucks, análises filosóficas…Mas o assunto é sério, porque comida de rua não é filé mignon servido em prato descartável nem muito menos sanduíche de lagosta.

Também não é o fast food das grandes cadeias ou o junk food. É exatamente este um dos maiores riscos durante a viagem, pincipalmente nas grandes cidades: comprar comida “padronizada”, sem sabor e pouca autêntica, pensando de comer comida típica. Às vezes nem tão barata.

Experimentar comida de rua é uma oportunidade para conhecer melhor as tradições do país, interagir com os habitantes e superar os próprios limites (porque nem sempre é fácil experimentar alimentos que não conhecemos…). Para procurar uma boa comida de rua às vezes é preciso sair da trilha turística e perambular um pouco. Mas vale a pena! Que delícia o cheirinho de comida feita na hora e na sua frente, com o recheio que sai pra todo lado!

Na Itália não é diferente. A comida de rua italiana é rica de pratos deliciosos, além de baratos e rápidos. Cada região tem os próprios produtos e ingredientes. O cardápio é amplo e aqui no blog você vai conhecer as comidinhas típicas italianas de cabo a rabo, começando pela Região Norte. Se quiser saber mais sobre lanches e comidas rápidas italianas não deixe de clicar aqui para ler mais sobre o assunto.

Na Norte da Itália, e em outros países da Europa, comida de rua geralmente não é vendida na rua, mas em botecos, padarias e feiras. Principalmente fritura. Por motivos higiênicos as prefeituras não autorizam a venda se o tipo de cozinha não preencher certos requisitos. Mas não desanime. Mesmo sem ser vendida na rua, a comida é de rua mesmo. Até porque nas padarias e nos botecos não tem onde sentar e nem onde comer em pé.

Uma das poucas especialidades vendidas somente na rua é a castanha tipo portuguesa na brasa: as famosas caldarroste.

Venda de comida de rua. Um simples sanduíche recheado com salame

Venda de comida de rua italiana. Um simples sanduíche recheado com salame


Valle d’Aosta

Região montanhesa, no extremo noroeste da Itália, na divisa com a Suíça e a França. Aqui fica o “lado” italiano do maravilhoso Mont Blanc. Culinária tipica dos Alpes, principalmente francesa, pouca conhecida no Brasil.

O frio e os picos nevados pedem pratos e sanduíches com queijos locais (entre eles a fontina, com denominação de origem protegida – DOP) e embutidos típicos como o presunto de Saint Marcel ou de Saint Rhemy en Bousses e o famoso “lardo d’Arnad“, fatias finíssimas de toucinho macio, com pão preto e mel ou com polenta.

Outra comidinha famosa é o creme de Cogne feito com chocolate, ovo e creme de leite, acompanhado com os biscoitos típicos feitos com farinha de avela e chamados “tegole”.

Sugestão: barraquinha com sanduíche de fontina e lardo chamada “Chiosco” no Bairro Chez Sapin 98/B, em Aosta – Fenis (preço a partir de 4 euros)

Trentino Alto Adige (Südtirol)

Região montanhesa, no extremo norte da Itália, na divisa com a Áustria. A tradição culinária é austríaca (o alemão é uma das línguas oficiais) e o prato mais badalado é a salsicha (wurstel) em todas as maneiras possíveis, de boi, de porco, na chapa, fervida…Acompanhada com mostarda e brezel. Apesar de toque germânico, é um das comidas de rua mais famosas da Itália.

Sugestão: Em Bolzano, procure a barraquinha chamada Chiosco di Sonia Ebner na Piazza delle Erbe para comer um meraner wurstel.

Brezel com salsicha é uma típica comida de rua italiana - mas de origem germânica

Brezel com salsicha é uma típica comida de rua das montanhas do Alto Adige


Piemonte

Região de queijos e vinhos nobres. Mas a comida de rua mais famosa é o “gofri“, conhecido também com waffle. Muito usado em festa de rua, mas antigamente toda família tinha a chapa para faze-lo em casa. Pode ser doce, com mel, creme de avelã ou geléia. Ou salgado, tipo sanduíche, com queijo e pancetta.

Menos conhecida mas muito gostosa é a miasse, folhado de farinha de milho, assado na chapa, servidas bem quentes com queijos ou com açúcar.

Lombardia

Eu poderia até inventar uma especialidade qualquer…mas sinto muito…na Lombardia não tem comida de rua. Pelo menos eu não conheço. Nem todos os milaneses que “entrevistei”.

O que mais parece com comida de rua é a famosa michetta com mortadella (simples sanduíche feito com o pão típico lombardo). É muito comum encontrar nas ruas durante o outono e o inverno barraquinhas que vendem castanha na brasa (caldarroste) no saquinho de papel, bem quentinhas, ótimas no frio. Mas eu não diria que é uma especialidade lombarda porque na verdade encontra-se na Itália inteira.

Sugestão: em qualquer barzinho de Milão você vai encontrar a michetta. Evite os arredores do Duomo. Por aqueles lados nada é autêntico!

Comida de rua típica milanesa

Comida de rua típica milanesa – pãozinho “michetta” com mortadella


Veneto

Região rica de opções. Nos arredores da famosa estação de esqui Cortina d’Ampezzo tem a “puccia“, pão de centeio típico de Cortina que pode ser recheado com queijos.

Sugestão: para comer a puccia o endereço tradicional é a Padaria “Panetteria Alverà” na Piazza Fratelli Ghedina Pittori 14, Cortina D’Ampezzo.

Em Veneza, são famosos os “cicheti”, salgadinhos ou canapés. Existem várias versões, mas os preferidos são:

  • crostini con baccalà mantecato (torradinhas com creme de bacalhau);
  • polenta com sopressa (embutido típico veneziano);
  • nervetti con le cipolle (nervos cozidos temperados com feijão branco, cebola, sal pimenta e vinagre);
  • polpette (almôndegas de carne, berinjela ou atum, folpeti (polvos pequenos cozidos ou fritos).
Pratinho de "nervetti", tira-gosto típico veneziano

Pratinho de “nervetti”, tira-gosto típico veneziano


Liguria

A Liguria é a terra da deliciosa “focaccia“, um meio termo entre pão e pizza. Talvez seja a comida de rua italiana mais famosa, considerando que praticamente cada região tem a sua versão. A mais conhecida é a “focaccia genovese“, com sal grosso e pinceladas de azeite. Pode ser servida sem nada, somente coberta com alecrim, ou recheada, com presunto, queijo, atum, verduras, salada, etc.

Outra versão é a Focaccia di Recco,  típica da cidade de Recco, cidadezinha no litoral, perto de Genova. É recheada com queijo cremoso chamado “stracchino“, bem baixinha.

Sugestão: o endereço mais badalado para a Focaccia di Recco é a padaria “Panificio Moltedo” que fica na Via XX Settembre 2, Recco. Existe desde 1874!

Pizza e focaccia – comidas de rua icônicas

 

Fotos: Adelaide Pereira

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *