Antelope Canyon

Como fotografar o Antelope Canyon


Como fotografar o Antelope Canyon é um título meio audacioso para um fotógrafo sem eira nem beira como eu.

A intenção aqui não é dar aulas mas compartilhar dicas básicas com quem vai visitar o Antelope Canyon e quer levar para casa pelo menos meia dúzia de fotos razoáveis. Enfim, ajudar você a não cometer os meus erros.

O Antelope Canyon é um set fotográfico complicado: escuro, estreito, lotado. A melhor forma de enfrentar o desafio é não criar muita expectativa e não superfaturar o seu talento.

Como eu conheço os meus limites técnicos e já fui preparada. Se você criou um bate-volta no seu roteiro só para fotografar o cânion, cuidado para não ficar decepcionado. Não esqueça de curtir a beleza do lugar, é a coisa mais importante.

Antes de começar, é bom saber que…

Quando visitei o Antelope Canyon, entrei nos dois setores, Upper e Lower Canyon, que apesar de ficarem bem perto um do outro, são excursões separadas.

Cada excursão oferece dois tipos de visitas: a básica e a fotográfica. Quer saber mais sobre as excursões no Antelope Canyon, leia o post que já publiquei aqui no blog:

>> Guia completo do Antelope Canyon

Nos dois casos eu escolhi a excursão básica que dura mais ou menos uma hora cada uma. Quem escolher o tour fotográfico vai pagar mais caro mas vai ter mais tempo e mais ocasiões para boas fotografias.

Cuidado durante a alta temporada: durante o meu tour básico várias vezes cruzei com o grupo dos fotógrafos e pelo o que vi nem mesmo eles tinham muito tempo para fotografar. Claro, é melhor do que nada mas não pense que vai ficar 15 minutos em cada ambiente do cânion.

Outra coisa importante é a diferença de luminosidade nos dois cânions. O Lower Antelope Canyon, apesar de subterrâneo, é mais claro. O melhor momento para visitá-lo é de manhã cedo, por volta das 9 h. No Upper Antelope Canyon reserve a visita entre 11 h e 11:30 no máximo. Os famosos fachos de luz verticais acontecem somente no verão por volta de meio-dia quando o sol vai estar bem alto e duram menos de meia hora.

como fotografar o Antelope Canyon

Sombras e luzes (Canon EOS 500D, f5.6, 1/40, ISO 400)


Dentro do Upper Antelope Canyon

A fotografia icônica, o troféu, que qualquer pessoa que leu a respeito do Antelope Canyon, quer levar para casa é o facho de luz que penetra na sala principal, logo depois da entrada no Upper Antelope Canyon.

Eu consegui somente ver o facho incompleto. Gente demais e um guia super apressado que explicava tudo correndo em inglês versão navajo (indecifrável). Na hora do facho o guia pega um punho de areia e joga para cima. A passagem da areia através da luz cria efeitos incríveis.

Mas para conseguir ver e fotografar esses efeitos, siga as dicas:

  • fique na fila da frente. Quem fica atrás, como eu, pode dar adeus ao famoso clique.
  • quando o guia navajo grita “shoot” não vacile nem um segundo.
  • tenha cara de pau e não deixe ninguém ficar ou passar na sua frente.

Eu não tive vontade de acotovelamentos. Paciência. O mundo vai sobreviver sem a minha fotografia do facho de luz.

Mas por sorte o lugar é bonito demais mesmo sem os danados fachos. Eu vasculhei o lugar, tentando fotografias alternativas, como os paredões alaranjados de arenito, as sombras, as formas onduladas.

E foi melhor assim. Fiquei no final da fila, sempre atrasada em relação ao meu grupo mas na frente do grupo seguinte. Assim tive sempre meio minuto de tranquilidade para tentar umas fotos legais e sem ninguém passando na frente.

Tivemos azar com a nossa guia apressada demais. No final do tour ela pediu desculpas mas já tinha deixado todo mundo meio decepcionado.

Dentro do Lower Antelope Canyon

O tour no Lower é bem mais tranquila. Menos lotada também. Você chega ao cânion a pé e durante o passeio o guia compartilha umas dicas básicas sobre como regular o celular e a máquina fotográfica. Nada de sofisticado mas ajuda quem não sabe manusear o celular.

Eu gostei muito do tour. Sendo o Lower menos badalado,  o guia não tem pressa para evitar o cruzamento dos grupos.

O tempo é mais do que suficiente para curtir a visita e tentar uns cliques legais.

como fotografar o Antelope Canyon

Texturas dos paredões do Lower Antelope Canyon


Como fotografar o Antelope Canyon: as regras básicas

Conhecer e testar o equipamento

Antes de entrar no cânion você tem que testar (e muito) a sua máquina fotográfica, principalmente obturador, diafragma e ISO. A mesma regra vale também para os celulares: use todas as configurações básicas e pro e, se puder, baixe aplicações específicas que melhoram a performance.

Faça testes com diferentes intensidade de luz, com e sem tripé, para entender como a máquina reage em diferentes condições.

Fique craque porque você vai ter poucos segundos para fotografar. E não vai ter segunda chance. Logo atrás tem outro grupo chegando.

Uso do tripé

Não é permitido usar tripé no tour básico. E não é permitido participar do tour fotográfico sem tripé e máquina reflex (DSLR).

Na minha opinião o tripé é o equipamento-chave para obter boas fotografias dentro do cânion. Decida o tipo de tour em função do tipo de fotografia que você deseja porque o cânion é realmente muito escuro.

Quem vai tentar o tour básico (como eu fiz) sem ambições de concurso fotográfico, confira as dicas:

  • sem tripé evite tempos de exposição muito longos para evitar o efeito “borrão”. Aumente o fator ISO e a abertura, mesmo perdendo nitidez.
  • use a função mirror lock up ou equivalente da sua câmera para evitar os tremores causados pelo próprio espelho durante a exposição.
  • use as paredes do cânion como apoio.

Quem decidir pelo tripé, treine bastante porque não é moleza montar e desmontá-lo em poucos minutos e ainda achar um lugar aceitável para colocá-lo.

Uso do flash

Não é permitido o uso de flash no tour básico. O flash na realidade não ajuda muito. As melhores fotos do cânion são feitas com iluminação natural.

Escolha do set básico

O set básico é o ajuste mínimo de ISO, abertura e balanço de branco para conseguir uns cliques aceitáveis:

  • use o set básico para os primeiros cliques e depois reajuste-o em função da luminosidade. Dentro do cânion não vai dar tempo de procurar “aquela” configuração milagrosa que você tinha lido não sabe onde. Leve tudo escrito e ajuste a câmera antes de subir na camionete por causa dos sacolejos.

Um exemplo de set básico que testei:

  • ISO 400
  • f8
  • balanço de branco (WB): nublado

O ideal teria sido ISO 100, mas sem tripé foi impossível. Aceitei sem chorar um pouco de ruído nas minhas fotografias.

Outra opção seria ISO 400 e f11, para aumentar a profundidade de campo. Mas também não deu. Infelizmente nas partes mais escuras do cânion eu tive que diminuir para f5.6, mantendo a velocidade e evitando borrões.

Não usei ISO maiores do que 400 para não aumentar demais o ruído.

Velocidades baixas demais mesmo no tour fotográfico com o tripé são meio arriscadas porque tem muito movimento dentro do cânion. Você não vai estar sozinho.

Lower Antelope Canyon

Parte alta do Lower Antelope Canyon (Canon EOS 500D, f5.6, 1/40, ISO 400)


A escolha da objetiva

A objetiva é outro ponto-chave para fotografar o cânion. Aí vão umas dicas:

  • é desaconselhável trocar a objetiva dentro do cânion. O ambiente é cheio de areia fina e o tempo é pouquíssimoooo. É proibido sair do cânion durante o tour. Se realmente for necessário, leve um saco de plástico e um kit de limpeza, mas eu evitaria essa troca.
  • para fotografar os fachos de luz por inteiro no Upper Antelope Canyon, seria aconselhável usar uma grande angular (menor que 50 mm).

A opção tem uma desvantagem: o risco de enquadrar as pessoas do grupo porque os ambientes são pequenos e estreitos.

Eu usei uma Canon EOS 500D 18-135 mm e foi suficiente para ter um bom ângulo de abrangência. Eu preferi uma objetiva versátil porque sabia que dentro do cânion tinha muito o que fotografar além dos fachos de luz do Upper Antelope Canyon.

Composição

Prepare-se para fotografar por cima do grupo de visitantes. Nem sempre você vai conseguir ficar na primeira fila. E ficando na primeira fila você vai perder profundidade de campo.

Na minha opinião, além dos fachos, as imagens mais bonitas do cânion ficam na parte superior onde o contraste entre luz e sombra é maior.

Mais dicas:

  • use a orientação vertical porque os ambientes são estreitos e altos
  • explore as texturas, as formas geométricas e as nuances cromáticas (alaranjado, creme, marrom, etc)
  • explore o efeito tridimensional do cânion.
facho de luz no Antelope Canyon

Uma amostra do famoso facho de luz (Canon EOS 500 D, f5.6, 1/25, ISO 400)


Informações úteis


Fotos Adelaide Pereira – Reprodução proibida

2 respostas
  1. Carolina Belo
    Carolina Belo says:

    Oi Adelaide! Gostei tanto do local que continuei lendo sobre ele, ha ha ha ha…
    Eu acho que não seria tão tranquila como você e, realmente, NÃO DEIXARIA NINGUÉM PASSAR NA MINHA FRENTE, ha ha ha ha… Mesmo assim, suas fotos estão bem legais! Parabéns!
    Obrigada por compartilhar as configurações mais apropriadas. Eu nunca fiz curso de fotografia, mas tenho uns conhecimentos básicos de curiosidade!
    Um abraço,
    Carolina

    Responder
    • Adelaide
      Adelaide says:

      Oí Carolina,
      o Antelope Canyon é um paraíso para quem gosta de fotografia. Cores e formas únicas. No final das contas me arrependi um pouquinho de não ter feito o tour fotográfico. Receio de exagerar com as despesas e de não ter a capacidade técnica e o equipamento certo para acompanhar o grupo.
      Abs

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *