doces-italianos

Gastronomia italiana: lanches rápidos e baratos


A alimentação é uma das partes mais importantes de qualquer viagem. Não somente porque é um capítulo caro do orçamento, mas porque faz parte da cultura de um país ou região. 

O fator tempo também é importante. Nem sempre é possível parar para comer com calma ou ir a restaurantes, principalmente na hora do almoço. Muitas pessoas preferem um lanche ou uma refeição rápida, para economizar tempo e reduzir as despesas. É uma solução válida. O erro é deixar de experimentar os pratos locais para comer um sanduíche qualquer, sem carteira de identidade.

Na Itália, o “planejamento gastronômico” é importantíssimo. A gastronomia italiana deve ficar no topo de qualquer lista “must do“. Um país rico de arte e cultura, mas também capital de iguarias e delícias sem igual.

Mas quem tem pressa e quer gastar pouco não deve ficar preocupado. Além dos pratos super badalados e conhecidos, a gastronomia italiana oferece mil opções de lanches rápidos e genuínos. Uma solução que se encaixa perfeitamente em um dos pontos cardeiais do blog: comer bem sem gastar muito. Regra, aliás, que vale em qualquer refeição não somente no lanche. E não somente na Itália.

Os conceitos de “comer bem” e de “gastar muito” são relativos? Claro. Aqui no blog eu aplico a regra que “comer bem” deve estar ao alcance de todos, até mesmo de um estudante durante a sua primeira viagem. Você pode comer bem saboreando um sanduíche típico comprado por poucos euros, sentado numa praça agradável. O conceito de comer bem na visão do blog é baseado principalmente na qualidade e na autenticidade dos ingredientes, nem sempre relacionadas ao preço.

Quando viajo, adoro comer bem, mas detesto gastar fortunas com comida. Assim, dedico muito tempo à gastronomia dos lugares a serem visitados e analiso as melhores alternativas para economizar tempo e dinheiro durante a viagem.

É claro que não estou dizendo que não vale a pena comer num restaurante três estrelas Michelin. Mas para este tipo de restaurante, dicas são supérfluas ….

Para os outros casos…kkk…valem as dicas básicas do blog.

icona dicas

Evite as “trilhas” turísticas

A regra “número 1” na Itália (provavelmente no mundo inteiro) é: na hora de comer evite as ruas de maior movimento turístico.

Em Milão evite os arredores do Duomo, San Babila, Montenapoleone, Castello Sforzesco, Via Dante, Teatro alla Scala. Em Veneza, Rialto, Piazza San Marco, estação de trem. Em Roma, Fontana di Trevi, Piazza di Spagna, Colosseo, arredores de Via Condotti…e assim por diante.

O risco de pagar caro por um prato decepcionante é altíssimo. Não arrisque nem um lanche!

Peça sugestões no local

Faço sempre assim: pergunto na banca de revistas, no mercadinho, no hotel (mas não na recepção) onde achar um bistrô, sorveteria ou lanchonete para experimentar comida local…boa e barata.

Claro que não é garantia de qualidade, mas ajuda, e muitas vezes funciona. Principalmente na Itália onde as pessoas geralmente são muito exigentes, culinariamente falando.

Se comprar em supermercado, selecione os ingredientes

Evite pratos prontos, geralmente caros. Muitos produtos italianos como por exemlo presuntos ou mozzarella di bufala custam menos do que certos produtos industrializados. Dois-três refrigerantes custam como uma garrafa de vinho de média qualidade ou como uma cerveja artesanal.

Na Itália, não compre presuntos embalados mas fatiados na hora, bem fininhos. E’ mais gostoso e custa bem menos. Em quase todos os supermercados tem balcão de gastronomia e o vendedor pode cortar o pão para você.

seleção-de-frios

A variedade de frios e embutidos italianos é impressionante!


Experimente “comida de rua”

É uma alternativa válida na hora do almoço (e talvez no jantar). Em cidades como Milão a comida de rua não é de rua, mas servida em delicatessen, padarias, bistrôs ou lanchonetes charmosas. Em Milão virou quase moda. Em cidades como Florença, Roma ou Nápoles comida de rua é de rua mesmo. Refeição rápida e saborosa, com opções de pratos rápidos e regionais.

Estilo “take away” para passeio.

Escolha somente comida local (vamos praticar o “go local”)

Nada de comer sushi em Milão. Como em qualquer cidade, as lanchonetes exóticas são caras. Comida chinesa, também não. E’ barata, mas você não pode renunciar a um presuntinho macio ou parmesão para comer rolinhos primavera…

A gastronomia italiana é riquíssima. Uma pena não experimentar – pelo menos – as versões originais dos pratos mais famosos. Talvez você se surpreenda em saber que certos pratos “italianos” servidos no Brasil estão bem longe da verdadeira tradição gastronômica italiana.

gastronomia-italiana-queijos

Seleção de queijos italianos


Em qualquer cidade italiana, procure a comida local. Pesquise antes de viajar. Logo aqui embaixo vai uma ajudinha do blog, com uma seleção de lanches típicos, rápidos e baratos, vendidos em qualquer lugar (ou quase) na Itália.

icona sabores

  • Panino con prosciutto ou mortadella | é o lanche icônico da Itália para adultos e crianças. Sanduíche clássico  com presunto, às vezes com queijo ou verdura. Em cada região você vai encontrar tipos diferentes de pães e frios.
  • Focaccia | outro lanche icônico; típica da região da Ligúria com variações na Itália inteira. E’ um pão chato, retangular, com cerca 2 cm de altura. A mais conhecida é a “focaccia genovese“, com sal grosso e pinceladas de azeite. A criatividade italiana criou dezenas de versões, às vezes com nomes diferentes. Recheada com queijo cremoso chamado “stracchino“, bem baixinha, típica da cidade de Recco (Focaccia di Recco). Crocante por fora e fofinha por dentro com azeitonas, com alecrim, com verduras na chapa. Recheada com presunto ou atum, tipo sanduíche….Bem crocante, quase seca, em Roma e Toscana. Com batatas, na Região Puglia. Com açúcar….
  • Tramezzino típico de Veneza, mas encontra-se em qualquer lugar. Pão de caixa bem macio recheado com qualquer coisa, quase sempre leva maionese.
  • Arancini típicos da Sicília. Croquetes de arroz com açafrão, recheados com carne moída, ervilhas e queijo. Pode encontrá-los também com recheio de mozzarella e presunto.
  • Piadina típica da costa nordeste do Mar Adriático (Romagna); massa finíssima tipo crêpe, recheada com vários tipos de fatiados, verduras e queijos.
  • Trancio di pizza triângulo de pizza quentíssimo. A versão clássica vem com molho de tomate e queijo super derretido. Mas existem mil versões com verduras, mistura de queijos, atum, salames picantes, etc…
  • Panzerotto | típico da Região Puglia: Tipo pastel feito com massa de pizza, frito, com vários recheios. O mais clássico é tomate e mozzarella. Em Milão não deixe de visitar Luini ou Il Panzerotto.
  • Sfoglie ripiene | massas folheadas recheadas. Podem ser doces com “nutella”, geléia ou maçã. Ou salgadas com queijos, presuntos ou verduras.
gastronomia italiana-massa folhadas

Massas folhadas rechedas e panzerotti


 

  • Cartoccio di fritto misto típico das cidades costeiras. Saquinho para passeio com pescado empanado e frito.
  • Torte salate típicas da Itália inteira; parece um pastelão, com recheios variados de verduras ou queijos. As mais famosas são a Torta Pasqualina e o Erbazzone (ambas com ricotta e espinafre).
  • Tagliere di formaggi e salumi | tábua de frios típicos acompanhados por vários tipos de pães e verduras em conserva de azeite ou vinagre. Os frios mais usados, divididos por região, são :

Norte: Prosciutto di Parma, Salamino milanese, Bresaola (um dos poucos feito com carne de vaca), Coppa piacentina, Parmigiano Reggiano (é o rei dos queijos, não precisa de apresentação !!!!), Gorgonzola, Caprino lombardo (queijo de cabra macio servido com azeite, mel ou geléia), etc…

Centro: Prosciutto toscan0 (mais seco do que o de Parma), Finocchiona (salame toscano aromatizado com sementes de erva-doce selvagem), Lardo di Colonnata (típico toscano, a parte nobre do toucinho, curado em bacias de mármore com ervas mediterrâneas), queijos Pecorino Toscano ou Romano (com leite de ovelha, pode ser fresco ou curado).

Sul: Capocollo (típico da Região Puglia, filé de porco curado), Caciocavallo napoletano (queijo com casca dura mas macio dentro), Burrata (um dos melhores queijos frescos italianos, tipo mozzarella mas recheado com creme de leite muito denso), Mozzarella fior di latte (com leite de vaca), Mozzarella di bufala, queijos Pecorino e Caprino (frescos ou curados) .

  • Doces e sobremesas:
    Crostata (torta crocante com recheio de geléia ou creme), Pastiera napoletana, Cantucci toscani (biscoito feito com amêndoas), babá de Nápoles (doce recheado com rum), granita siciliana, cannoli siciliani, tiramisu e gelato all’italiana.

Buon appetito!

2 respostas
    • Adelaide
      Adelaide says:

      Italy offers unexpected tastes and foods that suit all pockets. Not only traditional recipes but also eclectic cuisine to be found out while visiting cities.
      Don’t miss it!

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *