Albaicin

O bairro de Albaicín, o coração mouro de Granada


Quando o assunto é Granada, pensamos imediatamente na maravilhosa cidadela de Alhambra, símbolo do domínio árabe na Andaluzia e principal atração turística da cidade. Principal…mas não única. Porque existem mais dois pontos turísticos imprescindíveis que formam, juntamente com a Alhambra, o patrimônio UNESCO granadino. São os jardins de Generalife e o bairro de Albaicín.

Sobre o bairro de Albaicín

Albaicín (Albayzín ou El Albaicín) é o bairro mouro medieval de Granada fundado durante o domínio islâmico, ainda antes da dinastia dos poderosos Nasridas. Localizado no topo de uma colina adjacente e oposta à Alhambra, chegou a abrigar, durante o auge, 60 mil habitantes e 26 mesquitas.

Deve o seu nome à palavra árabe “bayyasin“, ou seja, habitantes de Baeza, no norte da Andaluzia, que se transferiram em massa para Granada, mas fora das muralhas, depois da rendição às tropas cristãs.

O bairro, muito bem conservado e merecidamente patrimônio UNESCO, é um verdadeiro bijoux em estilo árabe. Ainda hoje permanecem intactos o labirinto de ruas estreitas, as casinhas brancas, os pátios ajardinados e as fontes decorativas. Tudo harmoniosamente misturado com traços de arquitetura cristã.

Uma das peculiaridades de Albaicín são as chamadas Cármenes, solares mouriscos murados que escondem maravilhosos pátios, fontes e paredes azulejadas.

No bairro fica localizado o most wanted mirador de San Nicolás, que oferece uma vista espetacular das torres e das muralhas da Alhambra, principalmente durante o pôr do sol.

Enfim, a minha recente visita à Granada confirmou a sensação da minha primeira visita, muuuitos anos atrás: o bairro de Albaicín é o acompanhamento perfeito da Alhambra. Imperdível. Programe uma estadia de pelo menos um dia e meio para dar tempo de ver os dois.

Alhambra

Alhambra vista do Mirador de San Nicolás no bairro de Albaicín


bairro de Albaicín

Escadaria entre as casas de Albaicín


Albaicin

Porta mourisca em Albaicín


Como visitar Albaicín

O roteiro em Albaicín pode ser feito completamente a pé (como eu fiz) ou de ônibus (subida) e a pé (descida).

No primeiro caso, o roteiro pode começar na Carrera del Darro, rua que fica em uma das extremidades da Plaza Nueva, na cidade baixa, às margens do Rio Darro. Mais na frente, a Carrera continua com outro nome, Paseo de los Tristes, chamado assim porque era o caminho do antigo cemitério. O Paseo chega até as ladeiras Cuesta de la Victoria e Cuesta del Chapiz. Daí em diante começa a subida até os principais pontos turísticos do bairro.

Quem tem pouco tempo, pode reduzir o itinerário e subir diretamente até o Mirador de San Nicolás, passando por uma das travessas laterais da Carrera del Darro. É claro que esse trajeto é bem mais “turístico” (ou seja, menos tranquilo). Como o charme da bairro é o silêncio surreal das ruelas eu preferi ir até a Cuesta de la Victoria para fotografar com calma e driblar as lojas de souvenir 🙁

Quem prefere economizar energias, pode subir com o micro-ônibus circular C1 que pára na Plaza Nueva e passa pela Cuesta del Chapiz, Igreja del Salvador e pelo Mirador de San Nicolás (preço da passagem: 1,40 euros em agosto 2017). E depois descer a pé.

Quem gostar do passeio, como eu, pode subir mais ainda (com o micro-ônibus), até o bairro cigano de Sacromonte, na extremidade oriental do distrito de Albaicín.

Carrera del Darro

Carrera del Darro


 As atrações do bairro de Albaicín

Não faltam atrativos no bairro de Albaicín. E nem mesmo opções charmosas de hospedagens, bares e restaurantes.

Na Carrera del Darro encontram-se a Casa de Castril, um belíssimo palacete renascentista que abriga o Museu Arqueológico, e El Bañuelo, banho termal árabe do século XI com vestígios de arquitetura romana e visigótica (entrada gratuita até a lotação máxima permitida e também nos domingos).

No final do Paseo de los Tristes, começa a subida entre as ladeiras de Albaicín. Mas antes, pare na última praça e olhe para cima. Sim, lá está a fantástica cidadela vermelha, a Alhambra.

Alhambra

A Alhambra vista pelo Paseo de los Tristes, na parte baixa de Albaicín


A subida pode ser feita pela Cuesta de la Victoria (mais fácil) ou pela Cuesta del Chapiz, que leva também até o pitoresco bairro de Sacromonte. Um desvio que vale a pena pela vista.

O itinerário passa pela Igreja del Salvador construída sobre a antiga Mezquita Mayor de Albaicín, pela Plaza Larga, praticamente o centro de Albaicín, e pelo concorrido Mirador de San Nicolás. No meio do caminho, ruelas, cármenes e aljubes (antigos poços) ainda em uso. Dependendo do trajeto escolhido, vai dar para ver as muralhas da Alcazada Kadima, os vestígios mais antigos da Granada muçulmana, com mais de 1000 anos.

San Nicolás não é o único mirador nas redondezas. Uma opção menos lotada é o Mirador de San Cristóbal ou ainda o Mirador Mario Maya no bairro de Sacromonte.

Perto do mirador de San Nicolás encontram-se muitos bares e restaurantes “com vista”. Achei tudo meio “turístico” (e caro). Para jantar, preferi descer mais um pouco para evitar pegadinhas. Encontrei um bom restaurante com jardim chamado El Trillo, onde comi a melhor refeição durante a minha estadia na Espanha.

Continuando a descida até a Carrera del Darro, na parte baixa, o bairro vai perdendo aquele charme discreto… Os bares e os restaurantes, idem…Salvaria somente as teterias, ou seja, as casas de chá em estilo árabe e as lojas de chá, especiarias e frutas cristalizadas. Melhor passear na parte alta.

Albaicin

Ladeira de Albaicín perto da cidade baixa


bairro de Albaicín

Pracinha no bairro de Albaicín


Um pulinho em Sacromonte

Os exploradores incansáveis que, depois de Albaicín, quiserem entrar em Sacromonte, não vão ficar decepcionados. Sacromonte é a zona cigana de Albaicín, fora das muralhas de Granada, conhecida pelas grutas (cuevas) escavadas nas encostas da colina e usadas ainda hoje como moradia.

A origem das grutas de Sacromonte é incerta. Muitos historiadores acreditam que foram inicialmente construídas pelos muçulmanos e judeus como refúgio depois da conquista cristã da cidade no século XVI. Em seguida chegaram os ciganos.

Além das grutas, os principais atrativos de Sacromonte são a Abadia do Sacromonte, o museu e os espetáculos de flamenco. Vários locais oferecem shows noturnos e até cursos para principiantes.

Detalhe importante: a música e a zambra, a famosa dança de flamenco dos ciganos de Granada, nasceram em Sacromonte.

E para fechar com chave de ouro, uma parada no Mirador Mario Maya para curtir mais uma vista espetacular da Alhambra!

Sacromonte

Típica cueva escavada na encosta de Sacromonte


Links úteis



Guarde no Pinterest para ler depois

O bairro de Albaicín

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *