bairro de Santa Cruz

O bairro de Santa Cruz em Sevilha


Visitar a Espanha sem ver Sevilha, a capital e a essência da Andaluzia? É mais ou menos como visitar a Itália sem ver Florença. E em Sevilha, encaixado entre monumentos grandiosos como a Catedral e o Real Alcázar, tem um cantinho imperdível chamado Bairro de Santa Cruz, uma das mais antigas juderias medievais espanholas.

Sobre o Bairro de Santa Cruz

Santa Cruz é o segundo maior bairro judeu, ou juderia em espanhol, da Península Ibérica, depois de Toledo. O bairro acolheu a comunidade judaica em fuga após a reconquista católica da cidade pelo Rei Fernando III de Castela.

Depois do Decreto de Alhambra em 1492, que estabelecia a conversão dos judeus ou a expulsão da Espanha, o bairro entro em declínio até o século XVIII, quando começou o processo de revitalização.

Diga-se de passagem que durante os oito séculos de dominação moura na Península Ibérica, a religião judaica nunca foi proibida e, pelo contrário, podia ser praticada livremente.

O nome do bairro remete à antiga Igreja de Santa Cruz construída sobre as ruínas de uma ainda mais antiga sinagoga. Durante o domínio napoleônico (1811), a igreja foi demolida mas o pavimento original foi salvo e hoje corresponde à Plaza de Santa Cruz.

O bairro de Santa Cruz, localizado no centro da cidade, perto da Catedral, é um labirinto de antigas ruelas projetadas para criarem correntes de ar fresco e sombra (não esqueça que Sevilha é um forno durante o verão).

A vida no bairro era tão pitoresca que foi inspiração de óperas como Don Giovanni de Mozart e Fígaro, o barbeiro de Sevilha de Rossini.

Patio de Banderas

Patio de Banderas: uma das entradas para o Bairro de Santa Cruz


O que ver no Bairro de Santa Cruz

Como já tinha estado em Sevilha anos atrás, na minha recente visita preferi explorar com calma somente algumas das atrações da cidade. Entre elas, o bairro de Santa Cruz, com suas casinhas  típicas sevilhanas, pracinhas à sombra das laranjeiras, além, é claro dos pontos turísticos de valor histórico.

O bairro é repleto de bares para tapeo sevilhano, restaurantes e pequenos hotéis boutique.

Um roteiro de 2 horas é suficiente para passear nas ruas e praças mais importantes.

As ruelas (e as lendas)

O roteiro pode começar no Patio de Banderas, uma praça muito bonita que faz parte do complexo do Real Alcázar, bem perto da Catedral e do Archivo General de Indias.

Na extremidade oposta da entrada, encontra-se uma passagem com arco chamada Juderia que leva você para o labirinto de Santa Cruz, começando com o Callejón del Agua, por onde passava a água que abastecia o Alcázar, e as lendárias Calle Vida, Calle Susona e Calle Pimienta.

Lendárias porque essa encruzilhada, ao lado da muralha dos Jardins do Alcázar, foi teatro de algumas das muitas lendas que envolvem o bairro.

Uma delas, e talvez a mais importante, é a lenda da Calle Vida e da Calle Muerte (hoje Calle Susona). Susana  (ou Susona), filha de um rico judeu do bairro, era amante de um militar cristão. Um dia fica sabendo que os judeus, incluindo seu pai, preparavam um complô. Temendo pela vida do amante, ela o avisou. Infelizmente ele, por sua vez, avisou o comando local. O resultado foi uma matança no bairro. Sabe-se lá se é verdade ou não mas quem fugia pela Calle Vida, sobrevivia. Quem fugia pela Calle Muerte…bom, já deu para entender.

Merecem uma visita também as Calle Lope de Ruda, Calle Santa Teresa, Calle Rodrigo Caro e Santa Maria La Blanca. Na Calle Santa Teresa fica localizado o Museu Casa de Murillo, pintor barroco sevilhano.

Calle Rodrigo Caro

Tudo é pitoresco na Calle Rodrigo Caro


Calle Lope de Rueda

Calle Lope de Rueda


bairro de Santa Cruz

Estile típico sevilhano: azulejos maravilhosos, ferro fundido e pátio ajardinado.


As praças

As praças arborizadas são outra característica do bairro. Verdadeiros oásis entre laranjeiras e banquinhos azulejados. No verão de Sevilha, quando as temperaturas podem superar 40° graus, sentar numa pracinha no bairro de Santa Cruz na maior tranquilidade…não tem preço.

As praças mais famosas são:

  • Plaza de Santa Cruz, que deu o nome ao bairro;
  • Plaza de los Venerables, na frente do Hospital de los Venerables (veja abaixo);
  • Plaza de Doña Elvira, pracinha arborizada construída no inicio de 1900 em estilho típico sevilhano, bem perto do Patio de Banderas.
  • Plaza de los Refinadores, já na saída do bairro, perto dos Jardins de Murillo (veja abaixo).
bairro de Santa Cruz

A Plaza de Doña Elvira: a essência do estilo sevilhano


E ainda…

  • Jardines de Murillo | na saída da Plaza de Santa Cruz, encontram-se os Jardins de Murillo, a antiga horta do Alcázar;
  • Hospital de los Venerables | antiga casa de repouso dos clérigos. Hoje é sede de FOCUS, uma associação cultural de Sevilha.

Saindo do bairro de Santa Cruz pelos Jardins de Murillo, a Plaza de España fica relativamente perto.

Informações úteis

Turismo da Andaluzia | Site oficial

Cidade de Sevilha | Site oficial



Guarde no Pinterest para ler depois

Bairro de Santa Cruz

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *