O melhor das feiras de Milão


Não tem lugar melhor para conhecer as entranhas de uma cidade do que as feiras livres. Milão não é uma exceção. Atrás dos bastidores da cidade dos babados e franzidos existe um mundo paralelo, aliás, quase democrático, onde todos compram, debruçados dentro das barracas.

Quem gosta de perambular fora do radar e entrar no miolo, não fica decepcionado. São quase 100 feiras livres que acontecem em dias diferentes da semana, em todos os bairros da cidade, realmente todos, no centro e nos subúrbios. Isso sem falar dos mercados cobertos, baricentros de comida regional (e barata).

É um dos passeios mais divertidos e educativos que a cidade oferece. Um periscópio no mundo real, entre ricos e menos ricos, italianos e imigrantes, chiques, bregas e cafonas…

Antes de entrar no assunto, é bom esclarecer que a palavra “mercato” (ou “mercato settimanale”) em italiano significa “feira livre”. Na prática são feiras de bairro, com dia marcado, uma ou duas vezes por semana, nos bairros maiores.

Não confunda com “mercado” em português: em italiano significa “mercato coperto”, que não é feira livre e muito menos mercado das pulgas ou feira de antiguidades.

As feiras livres comercializam frutas, verduras, frios, carnes, pescados, queijos e alimentos em geral, enfim, tudo, além de utensílios para a casa, roupas, sapatos e acessórios. Os mercados (cobertos) vendem principalmente comidas e bebidas. Aqui precisa abrir um parêntese: as feiras de Milão são muito bem organizadas e limpas. Compra-se de tudo, pagando preços acessíveis.

Prefira sempre produtos italianos porque a qualidade é superior. É inegável. Os italianos tem gosto, técnica e trabalham bem. Até mesmo a “mercadoria de feira”, menos sofisticada,  é bonita, bem feita, de bom gosto. Nas feiras de Milão os vendedores sabem que a clientela é fashionista e portanto capricham, oferecendo artigos “trendy”. Tem até espaço para moda alternativa, menos comercial.

Gosto e técnica nos artigos à venda em muitas feiras milaneses

Propostas alternativas à venda em muitas feiras de Milão


Cada feira tem uma personalidade, claro, a personalidade do bairro e dos seus habitantes. Como o cachorro que parece com o dono. Nos bairros do centro, digamos, upper class, as feiras são frequentadas por italianas em busca de pechinchas grifadas, moda vintage e produtos gourmet. Comprar coisa bonita e barata na feira é motivo para se gabar com as amigas. Um troféu. Um comportamento típico da verdadeira burguesia milanesa, que sempre foi rica, e não gosta de dizer que esbanja. Pelo contrário.

Nestas feiras, as ocasiões de garimpo são ótimas porque a clientela é exigente. As italianas são craques em escolher as melhores barracas. Verifique onde fica a multidão e não tem erro. Preços razoáveis, nem barato nem caro, mas os produtos são de boa qualidade e poderiam ser vendidos tranquilamente em boutiques italianas ou brasileiras e, se for comida, em delicatessen de luxo em São Paulo.

O ponto forte das feiras do centro é o vestiário em geral, incluindo acessórios e bijouterias. Em algumas, são os sapatos e as bolsas. Nem sempre de couro, mas é tudo é tão bem feito que nem se nota.

O setor alimentação não é barato, principalmente os produtos regionais e os frios. Se você estiver pensando em comprar comida para a sua estadia…esqueça. Escolha outro bairro e você vai economizar mais.

A segunda categoria de feiras fica nos bairros de classe média. Nem todas valem a pena mas em algumas você vai deitar e rolar. Tem de tudo e mais alguma coisa. Qualidade e preços ótimos. Mas, cuidado, evite as barracas com produtos chineses. Em alguns bairros os produtos italianos desapareceram depois da invasão dos produtos “made in china” de baixa qualidade (com todo respeito). Uma pena, mas a competição ficou impraticável. Com a crise, a clientela quer comprar barato, sem procurar qualidade, levando muitos feirantes a venderem a  própria barraca aos chineses.

Aprecie a atmosfera, a mistura do bairro: donas de casa, trabalhadores na hora de folga, aposentados com netos, desempregados matando tempo, turistas desnorteadas, imigrantes vendendo mercadorias falsificadas, policiamento de mentirinha,…

Todos apressados, porque em Milão tem que ter pressa. Está escrito na bula da cidade: oito horas de pressa por dia.

Alguns feirantes são de origem árabe e tornam a venda muito pitoresca. Mas os italianos também não brincam no serviço. Adoram uma piada, uma gargalhada, uma gracinha.

Nas feirinhas pode-se comprar tudo e mais alguma coisa. Tem que ter paciência e perseverança. Garimpando, garimpando, você vai achar o que estava procurando (e o que nem passava pela sua cabeça).

A última categoria é a feirinha de subúrbio. Última por ordem de chamada, mas “sociologicamente” importante como as outras. De qualquer forma é um caso mais complexo. Para comprar “bem” neste tipo de feira tem que ser especialista de garimpo. Quero dizer, precisa ter um bom faro para pechinchas de qualidade. Não é para leigos e apressados.

Na realidade, este tipo de feira é o melhor lugar onde comprar frutas e verduras, comida em geral, mas quase nunca roupas e sapatos  a não ser que o objetivo seja economizar pra valer. A qualidade é baixa (muito made in china) e a clientela compra qualquer coisa se custa menos de 5 euros. Aqui é a vez do operário, do empregado, dos idosos sem grandes recursos, dos imigrantes que trabalham muito e ganham pouco. É a outra face de Milão, feita de pessoas simples, sem grandes expectativas de mudar de vida. É a Milão verdadeira? Não sei. É verdadeira como as outras mas, digamos, que é uma fatia grande da  cidade, que tem um certo peso.

As feiras de Milão

Para orientar quem conhece pouco a cidade mas quer sair da trilha das vitrines, fiz uma seleção das melhores feiras de Milão onde comprar roupas, sapatos, frutas, verduras e produtos gourmet (baseada no meu gosto pessoal, é claro).

Para conhecer a localização e o dia da semana de todas as feiras de Milão, clique aqui para acessar o site especializado com mapa interativo.

Não chegue no horário de abertura nem de fechamento porque os feirantes estão montando ou fechando os estandes e fica difícil ver a mercadoria.

Via Fauché

Uma das melhores feiras de Milão para vestiário e sapatos (para muitos é a melhor e eu concordo). Muito grande, muita escolha e mercadorias de boa qualidade e para todos os bolsos. Ótima para malharia, bijouterias e acessórios. Alguns estandes vendem roupas de grife com descontos (coleções do ano anterior). Frutas e verduras selecionadas mas os preços são altos. Bons produtos gourmet.

  • Dias: terça e sábado
  • Horário: 7:30 – 14:00 (aos sábados até 18:00)
  • Onde: Via Giovanni Battista Fauchè (Zona Sempione)
  • Como chegar: Metrô M5 (lilás) parada Gerusalemme ou Bonde (Tram) n. 14
Acessórios na feira de Via Fauché

Acessórios selecionados na feira de Via Fauché



Alta gastronomia - queijos regionais

Alta gastronomia – queijos regionais


Viale Papiniano

Falar sobre a feira de Papiniano é obrigatório porque já foi a melhor da cidade, principalmente para sapatos. Hoje em dia é difícil achar bons produtos. Muita mercadoria chinesa a preços baixos. Bom para frutas, verduras, frios e conservas gourmet. Boa variedade de utensílios para a casa, flores e plantas. Para comprar roupa de qualidade é melhor escolher outra feira (Fauché, por exemplo). O dia melhor é a terça.

  • Dias: terça e sábado
  • Horário: 7:30 – 14:00 (aos sábados até 18:00)
  • Onde: Viale Papiniano (Zona San Vittore)
  • Como chegar: Metrô M2 (verde) parada Sant’Agostino, Bondes (Tram) n. 14 e n. 19 ou ônibus n.50
Papiniano oferece excelentes produtos regionais

Papiniano oferece excelentes produtos regionais


 Via San Marco

Feirinha no coração de Brera, um dos bairros mais bonitos e glamour da cidade, perto do centro. Apesar de pequena, a feira oferece vestiário e sapatos de boa qualidade e a preços acessíveis. Frutas e verduras caras.

  • Dias: segunda e quinta
  • Horários: 7:30 – 14:00
  • Onde: Via San Marco (Zona Brera – Moscova)
  • Como chegar: Metrô M2 (verde) parada Moscova.
Tecidos italianos de qualidade podem ser encontrados nas feiras de Milão

Roupas italianas de qualidade podem ser encontrados nas feiras de Milão


Via Pagano – Largo V Alpini

Feirinha perto do centro, em um dos bairros nobres da cidade. Ótima para roupas, principalmente artigos de lã e de malha. Muitos feirantes de Via Fauché trabalham aqui também. Frutas e verduras caras. Bons produtos gourmet.

  • Dias: sexta
  • Horário: 7:30 – 14:00
  • Onde: Via Pagano (Largo V Alpini)
  • Como chegar: Metrô M1 (vermelho) parada Pagano.
Venda de sapatos de grife (coleções passadas)

Venda de sapatos de grife (coleções passadas)

Produtos gourmet nas feiras de Milão

Produtos gourmet nas feiras de  Milão – Via Pagano


Via Ampere

Feirinha do bairro universitário, perto do Politécnico e das outras universidades.  Ótima para “abastecimento” familiar mas sem produtos de alta gastronomia, com frutas, verduras e peixe a preços razoáveis. O setor de roupas e sapatos é fraco.

  • Dias: quinta
  • Horário: 7:30 – 14:00
  • Onde: Via Ampere (Zona Città Studi)
  • Como chegar: Metrô M2 (verde) parada Piola.

Via Calvi

Feirinha relativamente pequena em bairro de classe média alta. Boa opção para quem está hospedado no centro e na zona leste da cidade. Ótima escolha de roupas, sapatos, artigos vintage, bijouteria, cama e mesa.

  • Dias: quinta
  • Horário: 7:30 – 14:00
  • Onde: Via Pietro Calvi (Zona Monforte – Cinque Giornate)
  • Como chegar: ônibus n. 54 ou 61

Via Benedetto Marcello

Ótimo para fruta e verdura, com boa escolha de produtos exóticos e preços imbatíveis, perto do Corso Buenos Aires, uma das ruas famosas para compras. Feirinha muito pitoresca porque a maior parte dos feirantes é de origem árabe. Nada de especial no setor de roupas e sapatos.

  • Dias: terça e sábado
  • Horários: 7:30 – 14:00 (aos sábados até 18:00)
  • Onde: Via Benedetto Marcello (Zona Buenos Aires)
  • Como chegar: Metrô M1 (vermelha) parada Lima, ônibus n. 81 ou 60.

Extrapole os limites da feira e dê uma volta pelas ruas do bairro.

Frutas e verduras frescas

Frutas e verduras frescas. Nenhum supermercado oferece um show de cores assim


Quer saber mais sobre Milão? 

>> Igreja de San Maurizio: A Sistina de Milão

>> O Museu de Armani e o bairro Tortona

>> As melhores feiras de Milão


Fotos de Adelaide Pereira

10 respostas
  1. Ana Maria
    Ana Maria says:

    Eu li em outros blogues que a melhor feira de Milão para sapatos e roupas é Papiniano. Porque você escreveu Fauche?
    Fica longe de Papiniano? A qualidade é boa?

    Responder
    • Adelaide
      Adelaide says:

      Oi,
      a feira de Papiniano já foi a melhor da cidade. Nos últimos a qualidade caiu muito. Muita mercadoria chinesa. Somente alguns estandes mantiveram o padrão alto.
      Eu prefiro a feira da Via Fauché porque quase todos os estandes tem boas mercadorias. E menos turistica.
      As duas feiras ficam longe. Tem que pegar o metro verde na feira de Papiniano e descer na parada Garibaldi. Trocar de linha e pegar a linha M5 (lilas) e descer na parada Gerusalemme. A feira de Via Fauché fica bem pertinho.
      Boas compras!

      Responder
  2. Maria Lúcia de Azeredo Celestino
    Maria Lúcia de Azeredo Celestino says:

    Muito bom! Minha estadia vai ser curta. Terça a tarde chego e saio quinta a noite! Vou tentar a São Marco. Gostei do seu estilo de escrita. Estilo bem próprio. Em janeiro dou notícias do que deu certo. Obrigada, Adelaide!
    Maria Lúcia

    Responder
    • Adelaide
      Adelaide says:

      Olá Maria Lúcia,
      na quinta tem que ser a feira de San Marco. Na terça tem a feira de Papiniano mas acaba às 13 h.
      Se você vai visitar Milão durante as feriados de fim de ano, pode ser que as feiras estejam um pouco mais fracas.
      Mas ainda assim vale a pena. Sempre tem comprinhas interessantes. Principalmente roupas de frio e acessórios.
      Aguardo suas notícias.

      Responder
  3. Marcia
    Marcia says:

    Olá obrigada pelas dicas viajo em agosto 2017 para Milão e depois para Parma e gostaria de ir a esta feira que você falou que e boa de preço como faço para chegar, grata, abarço. Ah e se conhecer algum lugar em Pama bom de compra me indeque, abraço.

    Responder
    • Adelaide
      Adelaide says:

      Oí Márcia,
      qual delas? As melhores na minha opinião são Papiniano e Via Fauche.
      Você pode ir de metrô para as duas. Leia no post acima a melhor opção de transporte.
      Em Parma também tem feira. E muito boa. É na quarta-feira e fica no centro da cidade, Piazza Ghiaia e arredores.
      Abs.

      Responder
  4. Ana Paula
    Ana Paula says:

    Olá Adelaide
    Estive em Milão durante a Design Week, e como adoro feiras e mercados, segui seu roteiro e consegui visitar três: a via Fauche no sábado, a via San Marco em uma segunda feira e a Viale Papiniano na terça-feira. A sua avaliação foi preciosa, e me ajudou a direcionar o pouco tempo que eu tinha. Concordo com você: achei que a feira da Via Fauché foi a melhor de todas, tinha umas bolsas ótimas, roupas e sapatos bem legais. A feira da Via San Marco tinha bons produtos, principalmente artigos para casa, mas como é bem menor, estava bem mais calma. A feira da Viale Papiniano tinha uma área de alimentação muito boa, que fica separada das roupas e dos outros produtos, que eram na maioria produtos de baixa qualidade.
    Obrigada por compartilhar as suas impressões, espero poder conferir outras dicas em outras viagens.

    Responder
    • Adelaide
      Adelaide says:

      Oí Ana Paula,
      concordo. Imagina que Papiniano foi a melhor feira de Milão durante décadas. Hj ficou difícil comprar. Muitos artigos de baixa qualidade, tudo muito misturado. Eu prefiro Fauche, principalmente para bolsas e sapatos. O mercado de San Marco é melhor na quinta. Na segunda o movimento é meio franco mesmo. A vantagem é que fica em Brera, um dos bairros mais charmosos de Milão. 🙂
      Obrigada por compartilhar a sua experiência nos comentários. Até a próxima.
      Abs

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *