Roteiro em Caruaru, a princesa do Agreste Pernambucano

Um roteiro em Caruaru, capital do forró, do São João e dos bonecos de barro… para mostrar que nem só de praia vive Pernambuco.

Caruaru, a princesa do Agreste, é especial não só pelo apelido romântico. Localizada no Vale do Ipojuca, a 140 km de Recife, é na realidade a cidade mais populosa do interior pernambucano e um dos mais importantes polos comerciais do Nordeste, principalmente no setor têxtil.

Têxtil? Isso mesmo, é o paraíso das confecções… mas não recheie o seu roteiro em Caruaru só com os atacadões de roupas kkk… reserve umas horinhas para explorar  as atrações culturais da cidade.

Sobre Caruaru

Caruaru fica no Agreste Pernambucano, exatamente no Planalto da Borborema, a mais ou menos 500 metros acima do nível do mar. A região é semiárida e caracterizada por um tipo de vegetação raríssima conhecida como “caatinga”, que ocorre exclusivamente no Brasil.

Apesar de ter origens muito antigas devido à sua localização ao longo da rota que liga o sertão ao litoral, o município só foi fundado em meados de 1800.

Caruaru é berço da cultura interiorana e não é à toa que seja um dos destinos mais procurados e amados pelos pernambucanos e turistas que visitam Recife e querem dar uma esticadinha até o Agreste.

Um dos marcos da cidade é a produção de artesanato de barro. O Alto do Moura, bairro a 7 km do centro, foi nomeado pela UNESCO o Maior Centro de Artes Figurativas da América Latina, como reconhecimento do trabalho dos artesãos locais, iniciado já na década de 40.

Seu artista mais ilustre é Vitalino Pereira dos Santos, o Mestre Vitalino, que representou Pernambuco na exposição de Arte Primitiva e Moderna Brasileira em 1955, em Neuchâtel, na Suíça. As suas peças em argila pertencem ao acervo permanente do Museu do Louvre, em Paris, e ali podem ser contempladas por visitantes do mundo inteiro.

A produção dos “bonecos de barro”, como são chamados, vive ainda hoje graças à técnica desenvolvida pelo Mestre Vitalino e perpetuada entre seus familiares e discípulos, muitos deles ainda ativos em Caruaru.

Não menos importantes são a feira livre, considerada a maior do mundo e tombada como patrimônio imaterial brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), e a festa de São João.

roteiro em Caruaru

Artesanato na Feira de Caruaru


Como chegar em Caruaru

Em Caruaru tem um pequeno aeroporto local mas o aeroporto de grande porte mais próximo é o de Recife.

Saindo de Recife, para chegar em Caruaru você tem duas opções:

  • ônibus: do Terminal Integrado (TIP) no bairro da Várzea saem a Viação Cruzeiro e a Viação Caruaruense (passagem a partir de 30,00 reais em novembro 2021). A viagem dura 1h 50 min. No TIP tem estação de metrô.
  • carro: pela BR-232, passando por Gravatá e Bezerros, a viagem dura 2 horas. Tem um pequeno trecho de serra antes de Gravatá.

Roteiro em Caruaru

Para montar o seu roteiro em Caruaru não planeje menos de um dia.  O bate-volta saindo de Recife é viável mas precisa calcular que só o deslocamento dura mais ou menos 4 horas.

Feira de Caruaru

Um bom começo é a famosa feira, ou melhor, as feiras. Porque a “feira de Caruaru” é um conjunto de “feiras”. Tem de tudo, mas nem tudo é produção local, infelizmente. Tem que garimpar (e muito) para evitar produtos “made in china” ou de baixa qualidade. Entre os trilhões de estandes sempre achei uma ou outra coisa interessante, principalmente artesanato de barro e palha.

A feira fica no Parque 18 de Maio e divide-se principalmente em:

  • Feira de Artesanato (diariamente das 8h às 17h): artesanato em cerâmica, couro, palha, madeira e tecelagem em geral.
  • Feira da Sulanca: hoje em dia é a mais famosa porque vende principalmente artigos de vestiário a preços relativamente baixos; muito frequentada por revendedores. Funciona às  segundas-feiras mas confira o horário atualizado no perfil instagram da feira.
  • Feira Livre: tem de tudo um pouco (artigos para a casa, calçados, mais roupas, comidas típicas…).

Mas tem também a feira de raízes e ervas medicinais, de flores e plantas ornamentais, e por aí afora.

Evite sábado e domingo porque a feira lota e fica complicado garimpar.

Alto do Moura

Se você prefere conhecer (ou comprar) artesanato de barro mais selecionado então o Alto do Moura é a sua praia. O bairro tem aqueles ares singelos de cidadezinha de interior, com opções menos badaladas de bares, restaurantes e lojas.

Chegando lá siga a rota das olarias e dos ateliers mais famosos, entre eles Mestre Vitalino, Luiz Galdino, Zé Galêgo e Manuel Eudócio. Vale a pena visitar a Casa-Museu d0 Mestre Vitalino, o Memorial do Mestre Galdino e a Casa da Mulher Artesã.

Em algumas lojas é possível presenciar a moldagem e a pintura das peças de cerâmica.

feira de caruaru

Artesanato de Barro em Caruaru


Festa de São João

Que festa! Que alegria! Se eu dissesse que em Pernambuco a Festa de São João é quase tão importante como o Natal? Em Caruaru, talvez, até mais. Acredite.

É a festa da fartura, da comida de milho, das fogueiras, das quadrilhas e do forró.  Em Caruaru, tudo isso é multiplicado por mil. Prepare-se para comer e dançar!

Geralmente a programação começa no fim de maio e dura todo o mês de junho, com shows, apresentação de bandas de pífano e quadrilhas.

No entanto… a centralização dos eventos no Pátio Luiz Gonzaga descaracterizou muito a tradição junina. A antiga festa de bairro, com fogueiras e roupas caipiras, virou evento nacional e perdeu a essência espontânea e interiorana.

Se você não curte multidões e prefere vivenciar uma experiência mais autêntica, pode optar pelas festas das comidas gigantes e pelos eventos organizados nos polos culturais na zona rural (Alto do Moura, Polo Infantil e Morro do Bom Jesus).

Aviso | Desde 2020, as comemorações foram suspensas por causa da pandemia. Confira no site oficial da Prefeitura de Caruaru para maiores informações.

Mais opções para seu roteiro em Caruaru

Se sobrar um tempinho durante a sua peregrinação, cairia bem uma visita ao Museu do Cordel Olegário Fernandes, localizado na Feira de Artesanato. Um pequeno museu-homenagem ao grande cordelista Olegário Fernandes que contou em poemas e com ironia a vida e as tradições pernambucanas. Com certeza você vai encontrar um “folheto” que combine com você.

Seu Olegário Fernandes

Foi repórter cordelista

Nesse tempo assumia

O papel do jornalista

Ele dava a notícia

Podia ser natalícia

Até desastre na pista

(do cordelista Ivaldo Batista)

E se você gosta de forró não pode perder o Museu do Forró Luiz Gonzaga que abriga discos, fotografias e instrumentos musicais do grande artista pernambucano.

Pra fechar o roteiro tem a Igreja Nossa Senhora da Conceição (séc. XVIII), no Marco Zero da cidade.

Viu como nem sempre só no litoral e nas cidades grandes tem o que visitar? No Brasil e pelo mundo afora, o interior oferecem experiências interessantes, ricas de história, arte e paisagens diferentes.  No blog Olívia garimpando por aí tem umas dicas legais sobre viagens em cidades de interior. Nos blogs Uma Senhora Viagem e Imagina na Viagem tem uma seleção de destinos interioranos em Minas e São Paulo.

E por que não arriscar uma esticadinha até o interior durante sua viagem na Europa? O blog Turista Full Time mostra  cidades no interior da Holanda que valem a pena.


Guarde no Pinterest para ler depois

 

4 respostas
  1. Lilian Azevedo says:

    Nunca estive em Caruaru apesar de jã ter visitado Recife algumas vezes. Perdi a chance de conhecer a princesa do agreste que reune uma riqueza cultural que muito aprecio. No Museu do Pontal, aqui no Rio de Janeiro eu conheci alguns trabalhos de Mestre Vitalino e Manuel Eudocio. Impressionante a beleza e riqueza de detalhes das pecas trabalhadas em barro. Adoro forrõ e acho um dos ritmos mais contagiantes. Fiquei bastante animada para incluir Caruaru na prõxima vez em Pernambuco. Parabens pelo post !

  2. Olivia says:

    Adelaide, adorei seu roteiro sobre Caruaru. Eu já fui algumas vezes a Recife e arredores, mas nunca visitei a princesa do agreste. E olha que eu sou carioca, mas forrozeira, então ainda quero passar um São João em Caruaru.
    obrigada por compartilhar
    beijos

  3. Marina says:

    Que maravilha de passeio por Caruaru você nos proporcionou, Adelaide! É um universo totalmente novo quando a gente começa a observar as belezas das cidades menores e deixa de restringir as viagens às capitais, né? Eu já tinha a maior curiosidade pelo São João, por toda a sua importância, mas terminei o post com ainda mais vontade de conhecer!

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.