Roteiro em Veneza: as igrejas de Palladio

Um roteiro em Veneza para fugir do óbvio entre as maravilhosas igrejas do arquiteto renascentista Andrea Palladio.

Convidar o leitor para fugir do óbvio em Veneza visitando as obras de Palladio parece até uma heresia.  Porque Palladio é  Palladio, um dos mais importantes arquitetos italianos de todos os tempos. Mas por incrível que pareça é verdade. E a explicação é simples: como as igrejas de Palladio não ficam nas imediações de atrações badaladas como o Canal Grande e Rialto, nem sempre entram no roteirão clássico.

Mas com uma simples esticadinha você pode matar dois coelhos com uma cajadada: conhecer as obras de Palladio e dar uma espreitada em bairros pitorescos e genuínos, geralmente pouco visitados.

Roteiro em Veneza entre as igrejas de Palladio

Sem dúvidas a Basilica di San Giorgio Maggiore (Basílica de São Jorge Maior) é um excelente início de roteiro. O complexo, que abriga também um mosteiro, fica numa pequena ilha, exatamente na frente da Praça São Marcos. Não tem errada. É uma das obras mais importantes do arquiteto italiano, construída em 1566, em estilo renascentista. A fachada, completamente branca, foi realizada depois da sua morte mas nem por isso a forma majestosa com quatro imponentes colunas é menos impressionante.

Dois detalhes importantíssimos. O primeiro é que a igreja abriga os últimos quadros de Tintoretto: A “Última Ceia” e “Recolha do Maná” encontram-se nas paredes do presbitério, enquanto que “A Deposição” encontra-se na capela dos mortos. O segundo detalhe é que saindo da igreja você vai curtir a vista maravilhosa da Praça São Marcos que fica do outro lado da Lagoa.

San Giorgio Maggiore

A majestosa igreja “San Giorgio Maggiore”


A próxima parada é na Giudecca, ao lado da ilha de San Giorgio Maggiore. Precisa pegar o vaporetto e, depois de poucos minutos, descer na parada “Zitelle” para visitar mais duas igrejas de Palladio: Santa Maria della Presentazione e a magnífica Basilica del Redentore. No caminho até a igreja de Santa Maria, logo depois da parada do vaporetto, fica a instagramável Casa dei Tre Oci, sede de importantes exposições fotográficas.

Nem todos os estudiosos concordam que a igreja Santa Maria della Presentazione (ou Zitelle, como é mais conhecida) seja obra de Palladio mas a igreja é muito bonita e vale a visita. A 5 minutos a pé pelo “calçadão” da Giudecca fica a Basilica del Redentore, um dos mais importantes símbolos de Veneza. O motivo de tanta importância não depende somente de Palladio mas há uma explicação histórica: a basílica é o centro da Festa del Redentore, comemorada todo terceiro domingo de julho, para celebrar o fim da terrível epidemia de peste, em 1576.

Chiesa del Redentore

A igreja “del Redentore”


roteiro em veneza

Igreja “Le Zitelle”


Depois das visitas, é o momento de curtir Veneza. Primeiro de tudo, é claro, tem a vista. Passeando pelas Fondamenta di Giacomo, S. Eufemia e S. Biagio, um verdadeiro calçadão, e atravessando as pontes, dá para chegar até o fim da ilha da Giudecca e apreciar as vistas matadoras e o pôr do sol, um dos melhores da cidade.

Por trás do “calçadão”, no miolo da Giudecca, entre as ruelas estreitas e silenciosas, você vai conhecer uma Veneza mais autêntica, a rotina dos venezianos e até edifícios residenciais onde moram “pessoas de verdade”, longe do vaivém dos turistas e das lojas de souvenir.

Leia também aqui no blog | O que você não deve fazer em Veneza

Para não quebrar o encanto e fechar seu roteiro em Veneza não podem faltar mais duas igrejas “palladianas”, a Basilica di San Pietro di Castello e a Chiesa San Francesco della Vigna. Volte de vaporetto da Guidecca até a parada “Giardini” próxima ao centro de exposições da Biennale.

A igreja de San Pietro di Castello fica na extremidade do sestiere Castello, em uma ilhota, e dá para ir a pé passeando em mais um bairro residencial (e pouco turístico) de Veneza. San Pietro, erguida em 1596, abriga obras de Luca Giordano, Tintoretto e Veronese, entre outros.

A igreja fica numa praça muito pitoresca, bem arborizada, e com ares de cidade de interior, quase surreal.  Na frente fica um ancoradouro e uma ponte que nos leva de volta ao burburinho. Mas antes tem o Arsenale, outro recanto sossegado de Veneza, e um labirinto de ruelas e pracinhas pouco movimentadas, como a Fondamenta degli Arsenalotti, o Campo Do Pozzi ou o Campo de la Celestia, só para citar alguns. Se tiver um pouquinho de tempo não deixe de parar em um bistrô para saborear aquele ritmo provinciano tão raro em outros bairros de Veneza.

Depois da merecida pausa e sem grandes sacrifícios, você vai encontrar a última igreja palladiana do roteiro: San Francesco della Vigna, logo depois do belíssimo Campo di San Francesco com as suas colunas avermelhadas. A igreja, erguida em meados de 1500 nas imediações de um antigo vinhedo, apresenta uma fachada branquinha e imponente, marca registrada de Palladio. Muito bonitos também os claustros do convento, para fechar com chave de ouro o seu roteiro em Veneza e ficar com vontade de voltar.

San Pietro di Castello

Basílica “San Pietro di Castello”


Chiesa San Francesco della Vigna

A igreja “San Francesco della Vigna”


Claustro San Francesco della Vigna

Claustro da igreja “San Francesco della Vigna”


Info úteis

Antes de visitar os monumentos, consulte os preços das entradas e os horários nos sites oficiais.

Basilica de Redentore e San Pietro al Castello | sito oficial

Chiesa San Francesco della Vigna | sito oficial

Basilica di San Giorgio Maggiore | sito oficial

Santa Maria della Presentazione | sito oficial


Guarde no Pinterest para ler depois

roteiro em veneza

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.