hospedagem day use

Hospedagem day use: quando e como usar


A hospedagem day use é a última fronteira da hotelaria não convencional. Depois de AirBnb (leia aqui no blog como funciona o portal) e outros serviços baseados na economia compartilhada, chegou a vez da “hospedagem diurna”.

A hospedagem day use é uma solução prática e barata para quando você precisa de um hotel mas não de um pernoite. Por exemplo, durante viagens com loooongas esperas entre conexões ou stopover em grandes cidades. Quer dizer, um lugar seguro onde deixar as dez malinhas que você encheu durante a viagem, tomar banho e relaxar antes de recomeçar…a perambular.

Um setor em constante aumento nos últimos anos e que agrada turistas – muitas vezes vítimas de certos vôos com horários assassinos –  e hoteleiros – que ganham em cima de quartos desocupados.

A novidade funciona principalmente em cidades grandes como Roma, Londres, New York, Milão.

Na verdade o uso diurno de quartos de hotéis – de luxo ou não – sempre foi feito na surdina. Uma situação potencialmente constrangedora para os funcionários do hotel e para os clientes (geralmente casais). Agora o day use é oficial e muitos hotéis oferecem pacotes tentadores no próprio site ou através de companhias especializadas, como a DayUseHotels, empresa francesa presente em 12 países com uma média de 15000 reservas por mês.

hospedagem day use-2


Mas o que significa exatamente hospedagem day use?

Em inglês é conhecida também como microstay, day use room ou ainda hotel by day. Não confunda com motel. O “hotel diurno” na realidade pode ser um hotel qualquer – até de luxo – que negocia diárias com preço reduzido e encerramento no fim da tarde.

A hospedagem day use permite que os hóspedes utilizem os serviços do hotel ou da pousada sem que, para isso, tenham que pernoitar. As grandes redes de hotelarias já usam o sistema nos hotéis próximos a aeroportos.

Este tipo de hospedagem funciona muito bem nos Estados Unidos e na Europa. Mas já chegou também em São Paulo. Em New York, por exemplo, hotéis exclusivos na lista top de TripAdvisor como o Hotel Giraffe e o Library Hotel já oferecem o serviço.

Em Milão a seleção dos hotéis day use é muito boa e inclui o Hotel Gallia, um dos mais luxuosos da cidade, perto da Estação Central.

Em Londres, a empresa ByHours “vende” pacotes de 3, 6 e 12 horas em vários hotéis.

Quando usar a hospedagem day use?

Os primeiros day use hotels ficavam perto das estações de trem e dos aeroportos porque geralmente o cliente era um passageiro em trânsito aguardando um vôo noturno ou vôo de conexão. Ou ainda o viajante que precisava de logística para reunião de negócios.

Hoje em dia esse tipo de hotel tem em quase todo cidade grande e pode ser usado por qualquer tipo de viajante que precisa descansar, como famílias viajando com crianças pequenas, ou trabalhar sem pernoitar.

Para um casal ou uma família, a opção da hospedagem day use pode ficar bem mais barata – e confortável –  do que o uso de salas lounge a pagamento.

É óbvio que nada impede que o day use hotel seja usado por casais. Mas são casos isolados que passam completamente despercebidos pelos hóspedes e não incomodam.

Quanto custa a hospedagem day use?

As diárias diurnas são bem mais baratas do que o pernoite, é claro. Dependendo do hotel e da temporada, os descontos podem variar entre 40% e 70%. Apesar dos preços baixos geralmente o hóspede pode usar todas as instalações do hotel, como wifi, piscinas, spa, restaurante e área de lazer. Consulte as condições de uso antes de reservar.

A reserva pode ser feita através de redes on line especializadas ou diretamente no site do hotel. Os principais sites que negociam a hospedagem day use são:

Between 9 and 5 | hotéis de 3 a 5 estrelas no mundo inteiro
Day Break Hotels | hotéis de 3 a 5 estrelas na Argentina, Chile, França, Reino Unido e Itália
Hotels by Day  | hotéis no Canadá, Alemanha, Escócia, Reino Unido e Estados Unidos.

Nota: Este post não é patrocinado por nenhuma rede hoteleira como sempre aqui no blog. É simplesmente um serviço de informações para os leitores.


Fotos: Adelaide Pereira

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *