Receitas do mundo: torta de nozes da Engadina – St Moritz


Não existe bar, restaurante ou confeitaria em St. Moritz e arredores que não ofereça a tradicional torta de nozes da Engadina. A impronunciável tuorta da nusch Engiadinaisa, na língua local, o romanche. Passeando pelo centro da cidade, antes ou depois, você vai querer experimentá-la. E porque não? Afinal a torta de nozes é um dos símbolos da gastronomia suíça, considerada quase um souvenir, como o Toblerone que todo mundo comprava no aeroporto.

Quem acompanha o blog sabe que para mim viajar é (também) saborear produtos típicos. E nada combina mais com as montanhas da Engadina do que uma fatia de torta de nozes com uma xícara de chá, mesmo no verão. Uma torta sem requintes que usa sabores simples como mel, nozes, manteiga e creme de leite. Eu adoro a torta de nozes da Engadina e sempre que visito St. Moritz tenho que bater ponto.

Cai muito bem no café da manhã, para fechar a refeição com um capricho calórico que prepara o corpo e a mente para longos passeios a pé. Ou como lanche reparador no meio da tarde para recuperar as energias e a alegria de viver…kkk. Se o dia estiver ensolarado e não muito frio, nada melhor do que sentar em uma mesinha ao ar livre, curtir o movimento das ruas e degustar essa torta especial que conta um pouco da história da região.

Para saber mais sobre a Engadina e St Moritz, leia as postagens:

Roteiro em St Moritz e arredores

Roteiro de Milão aos Alpes Suíços

torta de nozes da engadina com café

Um lanchinho nada mal


As nozes da Engadina

A Engadina hoje parece um conto de fadas com seus chalés chiquérrimos, chaminés, bosques de pinheiros e picos nevados. Na verdade, o destino glorioso da Engadina já estava escrito no nome, “jardim do Inn”, o rio que atravessa o vale. Quando você pensa na palavra jardim, imagina flores, perfumes, beleza, elegância…St Moritz hoje é tudo isso.

Mas a história da Engadina é outra. Antes da glória, a Engadina comeu o pão que o diabo amassou.

Disputas, peste e guerras de religião devastaram cidades inteiras.

O clima excessivamente frio e os longos invernos eram garantia de pobreza e pouca comida. Quem podia, fugia, ia trabalhar e viver longe. Como os famosos confeiteiros da Engadina que começaram a abandonar a pátria no longínquo século XV.

Foram eles que levaram a torta de nozes para a Engadina. Isso mesmo, a torta de nozes da Engadina não foi “inventada” na Engadina. O motivo é muito simples: não existiam nozes nem muito menos nogueiras na Engadina. Nogueiras não crescem em clima frio…

Veja como as aparência enganam.

Parece que a torta de nozes era muito comum no sul da Europa, na França por exemplo, onde o clima é ameno e as nogueiras crescem tranquilamente. A torta de nozes da Engadina foi “vista” pela primeira vez em Tolosse, nas confeitarias de imigrantes vindos da Engadina. E assim, aos poucos, a famosa torta de nozes chegou na Engadina.

A torta ficou famosa na região somente no começo do século 20, quando um certo Fausto Pult, em 1926, vendeu o primeiro exemplar em Samedan um vilarejo perto de St. Moritz.

A torta é vendida em qualquer confeitaria, mas quem quer economizar pode comprar em padaria ou supermercados. Vai ficar faltando o charme do chazinho no centro de St Moritz mas pelo menos você não vai voltar para casa sem experimentar essa maravilha.

torta de nozes da engadina

A torta de nozes é simples mas deliciosa…derrete na boca


Receita da torta de nozes da Engadina

Ingredientes da massa

  • 300 g de farinha
  • 150 g de açúcar
  • 150 g de manteiga
  • 1 ovo
  • 1 pitada de sal

Ingredientes do recheio

  • 300 g de açúcar
  • 250 g de nozes em pedaços
  • 200 ml de creme de leite

Modo de fazer

Misturar todos os ingredientes até obter uma massa homogênea. Separar em duas partes. Reservar 250 g de massa para a cobertura. Forrar uma forma (altura 3 cm) com a parte restante.

Colocar o açúcar em um panela. Levar ao fogo até escurecer ligeiramente. Adicionar as nozes e o creme de leite e deixar ferver duas vezes.

Colocar o recheio na forma forrada e cobrir com a outra metade.

Pincelar a cobertura com um ovo batido e colocar no forno a 200 graus por 50 min ou até ficar dourada.


Fotos: Adelaide Pereira – Reprodução proibida

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *