Soho NY

Roteiro em Soho entre as fachadas mais bonitas de Nova York


Um roteiro em Soho pode parecer inviável para quem visita New York pela primeira vez. Mas não é. Com jeitinho vai dar para encaixar uma caminhada em uma das zonas mais legais (e imperdíveis) da cidade.Desde que você não esteja planejando uma visita de um dia… 🙁

Quem segue o blog sabe que eu não gosto de viagem relâmpago. Não é a minha praia e comigo não dá certo. Portanto eu raramente escrevo sobre roteiros de 1 dia em cidade grande. Principalmente Nova York. Claro, se eu já estivesse nas redondezas a trabalho, por exemplo, jamais deixaria de visitá-la nem que fosse por meia hora.

Mas…fazer mala, pegar avião e ficar somente um dia…bom…eu não aconselho. Voltando ao assunto, eu não gosto de roteirão e prefiro o roteiro por bairros mas sei que nem sempre é possível seguir esse tipo de esquema quando você tem poucos dias.

Quando visito uma cidade pela primeira vez escolho alguns atrativos imperdíveis, tipo Vaticano, Louvre e Estátua da Liberdade, mas tento focar meu roteiro em poucos bairros para dar tempo de entrar no clima e perambular com uma certa tranquilidade.

E Soho se encaixa direitinho nesse tipo de esquema porque é um bairro compacto e tranquilo que pode ser explorado a pé em poucas horas (ou alguns dias se você se apaixonar).

roteiro em Soho

As típicas fachas de ferro fundido de Soho


Onde fica Soho

Soho, abreviação de South of Houston Street, fica na Lower Manhattan, ou seja, na zona sul da cidade, perto de Little Italy (que eu deixaria pra lá) e Greenwich Village (que merece).

Na prática Soho fica empacotado entre a Houston Street, Canal Street, 6th Avenue, Crosby Street.

Soho fica quase inteiramente dentro do distrito histórico “Soho-Cast Iron”, o distrito das fachadas de ferro fundido (cast iron building), além de fazer parte do Patrimônio Histórico Nacional desde 1978.

Porque um roteiro em Soho?

É um dos bairros novaiorquinos revitalizados durante a gentrificação da área, um processo gradual onde moradores menos favorecidos são substiuídos por moradores de classes sociais mais altas. Traduzindo: bairro operário/industrial meio abandonado que vira reduto da high society.

Em Nova York o fenômeno atingiu vários bairros, como Chelsea, Meatpacking District, Williamsburg …entre outros.

Inicialmente Soho era uma zona industrial onde depósitos e armazéns funcionavam nos pitorescos prédios com a fachada em ferro fundido construídos em meados de 1800. No início do século 20, esse tipo de atividade entrou em declínio e chegaram as fábricas “clandestinas” que empregavam menores e imigrantes ilegais. Mas essa fase também passou e Soho ficou praticamente abandonado durante anos.

Na década de 60 foi a vez dos artistas em busca de alugueis baratos, movimentando a vida cultural do bairro e…aumentando o preço dos imóveis. Com os artistas chegou a era dos lofts com as icônicas escadas anti-incêndio vistas nos filmes americanos.

Mas a metamorfose de Soho não parou com os lofts, muitas vezes usados não somente como atelier mas como moradia. Os preços altos levaram os artistas a escolher o bairro de Chelsea e em Soho ficou somente la crème de la crème das galerias de arte.

Passeando pelas ruas de Soho hoje em dia você vai notar os vestígios das mil vidas do bairro, uma mistura de edifícios revitalizados ocupados por lojas de grifes alternativas e de design, restaurantes famosos, e outros ainda com cara de abandono. Enfim, tem um pouco de tudo, ruas tranquilas e transadas como Crosby St e outras movimentadas e comerciais como a Broadway. Bem típico e pitoresco também é o calçamento de paralelepípedos.

Mas o valor do roteiro em Soho fica por conta das lindas fachadas de ferro, mais de 250, que formam o maior conjunto do estilo no mundo. E você vai dar um jeito de ver.

roteiro em soho - greene st

Detalhe de fachada na Greene Street


As ruas mais bonitas de Soho

Graças a Deus Soho é relativamente pequeno. O risco de perder horas e horas perambulando sem meta é grande. Pelo menos para mim. Eu simplesmente adorooo.

Mas vamos tentar montar um itinerário enxutinho para quem quer dar um pulo por lá, se apaixonar e descobrir que quer voltar outras vezes.

Começando pela definição de melhores ruas: é claro, são as ruas onde ficam os prédios e as fachadas mais bonitas. Vamos deixar para falar de comprinhas no final do post para não distrair.

Uma dica legal é que as placas de rua no miolo histórico de Soho são marrons e não verdes. Uma ajuda para não sair do eixo principal do passeio.

Supondo que você tenha 2 horas para fechar um roteiro em Soho, melhor incluir as ruas mais legais sem correr (mais uma horinha para um lanche e comprinhas básicas). Aí vão elas:

Greene Street

É a rua mais bacana de Soho na minha opinão. Pouco movimento, muitos prédios bonitos e lojinhas transadas. Ideal para caminhar e fotografar.

As fachadas mais bonitas ficam nos números 10, 28-30, 71 e 72. São edifícios construídos no final do século 19. No número 28-30 fica a rainha da rua conhecida como “The Queen” of Greene Street e no 72 fica o “The King” of Greene Street. Mas tudo é charmoso.

Broome Street

Eu escrevi que a Greene é a mais legal, mas a Broome também não fica atrás. No número 469 fica o belíssimo Gunther Building, construído como depósito de peles para vestiário. E no número 477-481 fica outra maravilhada chamada Cheney Biulding.

Greene St Soho

Branco chique na fachada que parece até de mármore (mas é ferro) – Greene St


Greene St Soho

Placas marrons no cruzamento entre Greene St e Houston St


Gunther Building

Gunther Building na Broome St (olhem os detalhes das colunas trabalhadas)


Broadway

Para fechar com chave de ouro, eu deixei a Broadway, onde ficam os mais famosos:

  • Roosevelt Building (480 Broadway): um dos mais importantes edifícios no estilo cast iron do mundo. O arquiteto é o mesmo que construiu a base da Estátua da Liberdade.
  • E.V.Haughwout Building (488 Broadway): fica na esquina da Broome St. Simplesmente maravilhoso. Era uma loja de artigos em porcelana. Estilo veneziano. Uma obra-de-arte. Na loja foi instalado o primeiro elevador Otis do mundo, pelas mãozinhas do Sr. Otis. O empório teve clientes ilustres, como o Czar da Rússia e a família do presidente Lincoln.
  • The Little Singer Building (561-3 Broadway): mais uma obra-de-arte em ferro. Antiga sede dos escritórios e da fábrica Singer. Hoje é um condomínio residencial e comercial. Fica ao lado do Scholastic Building projetado pelo arquiteto italiano Aldo Rossi, em 1995.
Haughwout Building

O majestoso Haughwout Building na Broadway


Little Singer Building

Little Singer Building (fachada verde) na Broadway


Se não ficar muito apertado e dependendo da parada de metrô que você escolher, tente colocar a Wooster Street ou a Mercer Street.

A minha dica é montar o seu roteiro em Soho começando pelo lado oeste, por exemplo na parada Spring Street Station (linhas A, C e E), passando pela Prince Street, Greene e Broome, e acabando no lado leste, na Broadway. Acho melhor começar com as ruas tranquilas e fechar com a Broadway que é bem mais movimentada e com muitas possibilidades de compras.

No final do roteiro, encaixe uma fatia de cheesecake da Eileen’s, a melhor da cidade. Para chegar lá, continue na Spring Street, até Cleveland Place.  Foi assim que eu fiz e tem um post com tudo bem explicadinho aqui no blog. A estória de Eileen, a proprietária, conta que na Big Apple tudo é possível.

Leia mais >> Tudo sobre a melhor cheesecake de Nova York

Dicas de compras em Soho NY

Eu não queria falar de compras mas em Soho fica difícil driblar a tentação. Para não ficar com peso na consciência, eu encarei tudo como um prêmio depois da caminhada. 🙂

No bairro tem loja para todos os gostos e bolsos. Os meus destaques vão para Uniqlo, Topshop, Bloomingdale’s, &Other Stories e…Victoria’s Secret.

Quem quiser exagerar vai achar Fred Perry, Marc Jacobs, Joseph, e, subindo de categoria, tem Tiffany, Louis Vuitton…

Mas o legal mesmo é garimpar naquelas lojas branquinhas sem grife mas com artigos e objetos com cara de Nova York. Tem um montão delas.

Bom passeio! E se quiser ler mais sobre a Big Apple, clique nos posts abaixo:

>> 5 coisas que você precisa saber sobre o One World Observatory

>> Chelsea Market: o mercado gourmet de NY


Fotos de Adelaide Pereira – Reprodução proibida

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *