Como visitar as Cinque Terre (e sobreviver)

O mundo está repleto de destinos imperdíveis a nossa espera e hoje você vai descobrir mais um: as Cinque Terre na Itália. Só que tem um pequeno problema: o  destino é tão imperdível que ficou pra lá de complicado.  Para ter sucesso na empreitada, confira aqui como visitar as Cinque Terre (sem perrengues).


Sobre as Cinque Terre

As Cinque Terre (Cinco Terras, aportuguesando) são tudo aquilo que você imagina: penhascos, casinhas coloridas, roupas no varal, mar azul e vistas matadoras. E, pra completar, fazem parte do Parque Nacional das Cinque Terre e do Patrimônio da Humanidade da UNESCO.

Mas o que são exatamente as Cinque Terre? São cinco (maravilhosos) vilarejos encravados nos penhascos costeiros do Mar Mediterrâneo, na região Liguria, entre as cidades de La Spezia e Levanto. Os vilarejos são, de norte a sul, Monterosso al Mare, Vernazza, Corniglia, Manarola e Riomaggiore.

como visitar as Cinque Terre

A pracinha de Vernazza


Meios de transporte nas Cinque Terre

Tire da sua cabeça a ideia de visitar as Cinque Terre de carro. Seria a melhor maneira para estragar seu passeio. A região é acidentada, os estacionamentos são mercadoria rara e, às vezes, longe do centro. Anos atrás fiz essa besteira e nunca mais… kkk

As melhores opções são trem e barco. Há também as famosas trilhas mas vou deixar o assunto para outro artigo.

Trem ou barco? Antes de escolher considere o seguinte:

De trem 

É o meio mais barato, frequente e rápido, além de funcionar o ano inteiro. Mas não é panorâmico porque o trem passa quase sempre dentro dos túneis. O trajeto completo entre Riomaggiore e Monterosso leva somente 15 minutos.

Se você comprar a Cinque Terre Card (16 euros por pessoa) vai ter acesso livre e ilimitado durante o dia inteiro a todos os trens que percorrem as Cinque Terre (com exceção dos trens rápidos Intercity e Freccia Bianca). É possível subir ou descer em qualquer parada, quantas vezes quiser. O passe inclui também as paradas de La Spezia e Levanto, que ficam nas extremidades do trecho.

Consulte os horários no site oficial de Trenitalia. O passe pode ser comprado on line no site do Parque Nacional (leia abaixo) ou diretamente nas estações (cuidado com as filas nos horários de pico).

De barco

O passeio com os barcos do Consorzio Marittimo Turistico 5 Terre – Golfo dei Poeti é mais caro mas em compensação é mais panorâmico.

Têm várias opções de horários (mas menos frequente do que o trem) e vários tipos de tickets (dia inteiro incluindo todas as paradas por 35 euros, só tarde por 27 euros, só ida até Vernazza ou Monterosso por 23 euros, etc).

O trajeto entre Riomaggiore e Monterosso leva 45 minutos (nota: os barcos não param em Corniglia).  Há dois tipos de linhas:

  • La Spezia – Portovenere – 5 Terre – Levanto
  • Lerici – Portovenere – 5 Terre – Levanto

Consulte as informações atualizadas no site (link acima). O serviço funciona somente entre abril e outubro.

Manarola

A fotogênica Manarola, apesar do dia nublado


Como visitar as Cinque Terre

Como visitar as Cinque Terre significa praticamente “como driblar” a multidão e ter tempo de visitar os vilarejos sem correria.

1. Evite bate-volta

Sei que muitos leitores vão ficar chateados e decepcionados com essa dica. Mas o passeio pede um pernoite para dar tempo de saborear a região sem pressa e horário marcado.

O motivo do pernoite é simples: com exceção de Gênova, as Cinque Terre não ficam perto de nenhuma cidade que você provavelmente colocou no seu roteiro, como Florença, Milão, Roma ou Veneza. Para fazer o bate-volta você teria que programar um desvio e tanto porque Florença fica a 170 km e Milão a 240 km.

Será que vale a pena percorrer no mínimo 400 km (ida e volta) para ficar algumas horas em dos lugares mais bonitos da Itália? Humm, acho que não.

Claro que tudo depende do seu estilo de viagem e do tempo disponível.  Mas nas Cinque Terre vale o velho ditado: conhecer um lugar não é passar por ele.

Vernazza

Vistas matadoras em Vernazza: percorra nem que seja um pequeno trecho da trilha que leva até Monterosso


2.  Evite feriados, verão e fins de semana

As Cinque Terre sempre foram um destino concorrido mas era turismo local, principalmente italiano. Depois que o destino ficou mundialmente famoso e foi incluído nos passeios dos cruzeiros que atravessam o Mediterrâneo, precisa tomar um certo cuidado para evitar aborrecimentos e empurra-empurra.

Por exemplo, evite Páscoa, Corpus Christi, 1° de Maio, feriados nacionais italianos (25 de abril, 2 de junho), etc. Evite também os fins de semana de julho e agosto, em plena alta estação, e não só por causa do calor.

O melhor período é a meia estação (primavera e início do outono) e durante a semana.

Riomaggiore

Riomaggiore: uma das mais pitorescas


3. Chegue cedo

Cedo quer dizer entre 8 e 9 da manhã. Comece pelos vilarejos mais famosos (Riomaggiore e Vernazza) porque dessa forma é maior a probabilidade de encontrá-los ainda pouco lotados. Em seguida, visite o miolo, deixando Monterosso, o maior deles, para o fim.

Melhor ainda é programar um pernoite e dividir as Cinque Terre em dois dias.

4. Consulte o site do Parque Nacional

O site oficial do Parque Nacional das Cinque Terre disponibiliza todas as informações sobre as condições das trilhas, do tempo, das interdições, além de mapas e horários dos ônibus urbanos.

No site você vai encontrar o link para baixar o aplicativo “Cinque Terre Hiking Guide” (Apple Store e Google Play), que contém todas as informações atualizadas para quem quer percorrer as maravilhosas trilhas do parque.

5. Pernoite nas vizinhanças

É verdade, as Cinque Terre são muito românticas… quando não estão lotadas… Aí complica, por causa dos preços altos, filas de espera nos bares e restaurantes, principalmente no jantar, movimento o dia inteiro.

A não ser que você esteja programando uma visita fora da temporada, entre novembro e fevereiro, talvez seja melhor ficar nos arredores das Cinque Terre.  A minha dica é La Spezia, cidade de médio porte mas sossegada, com boas opções de hospedagem e restaurantes. Fica a 10 minutos de trem de Riomaggiore, a primeira das Cinque Terre, começando pelo lado sul.

Quem prefere ficar em cidade pequena pode optar por:

  • Levanto, a primeira cidade depois de Monterosso, a última das Cinque Terre, na extremidade norte;
  • Portovenere, considerada a “sexta terra”; fica a 30 minutos de ônibus do centro de La Spezia (linhas 11 ou P);
  • Lerici, o famoso balneário ligure a 10 km de La Spezia (linhas S ou L).

Acho pouco prática a estadia em Portovenere e Lerici por causa da falta do transporte ferroviário. Nesse caso é melhor optar pelo passeio de barco que sai das duas cidades. Gênova também não é aconselhável porque fica longe (e precisaria madrugar para chegar cedo).

Sobre visita fora da temporada: as Cinque Terre são um destino costeiro, onde pode dar até praia. Visitar a região em pleno inverno não é a melhor pedida, até porque muitas pousadas fecham.

Companhia de transporte em La Spezia | ATC

6. Reserve com antecedência (até os restaurantes)

A hospedagem nas Cinque Terre não é barata, principalmente para quem gosta de hotel com muitas estrelas. Reserve com antecedência para ter – pelo menos – várias escolhas.

Os restaurantes mais cobiçados (ou seja, típicos e baratos) também requerem quase sempre reserva, principalmente nos feriados. Não vacile porque tive dificuldade até mesmo em La Spezia que é bem mais tranquila do que as Cinque Terre.

E você? Tem dicas sobre como visitar as Cinque Terre sem perrengues? Deixe seu pitaco nos comentários :)



Guarde no Pinterest para ler depois

como visitar as Cinque Terre

3 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.