Guia do Monument Valley, o símbolo do Oeste Americano


Você gosta de cinema? Do Oeste Americano? De fotografia? De natureza? De paisagens maravilhoooosas? Então continue lendo o meu guia do Monument Valley, o parque icônico do Oeste Americano situado em pleno território Navajo. Você vai adorar e tenho certeza que vai colocá-lo no seu roteiro americano.

A minha vez chegou no ano passado quando finalmente visitei o Monument Valley no fim de um itinerário que incluiu vários parques nos estados do Arizona e Utah. Uma viagem com V maiúsculo, inesquecível. Amei cada parque que visitei e cada km que percorri. Mas o Monument Valley bateu tudo o que eu tive o privilégio de ver. Não sei se foi o arco-íris que estava lá, maravilhoso, esperando por nós, o azul intenso do céu depois da chuva ou o vermelhão de cada grão de areia.

Enfim, é um lugar mágico e não é à toa que foi cenário de não-sei-quantos filmes que fazem parte da história do cinema. Começando com os “faroestes” de John Wayne que nossos pais adoravam (mas eu não rsrs) até Mission Impossible 2 com aquela escalada impressionante de Tom Cruise no início do filme. Entre um e outro, têm Uma Odisseia no Espaço, Forrest Gump, Easy Rider, De Volta Para o Futuro 3, etc, etc…

Resumindo o Monument Valley é uma obra-prima da natureza que o cinema ajudou a transformar me-re-ci-da-men-te em mito.

Até a chegada pela Highway US-163 é de arrepiar: um espaço imenso que transmite uma incrível sensação de liberdade, ideal para fechar uma viagem on the road.

O Monument Valley e os índios Navajos

Antes de tudo precisa saber que o Monument Valley não é um parque nacional mas faz parte do circuito Navajo Nation Parks. E eu digo ainda bem porque teria sido injusto depois de tudo não ter deixado para os Navajos “pelo menos” um pedaço do território que um dia pertencia completamente a eles. Ficaram com a parte mais bonita. 🙂

A história da população Navajo é muito interessante. Durante décadas comeram o pão que o diabo amassou mas conseguiram prosperar dentro das reservas concedidas pelo governo e, durante a Segunda Guerra, muitos navajos chegaram a servir nas forças armadas. E não foi só isso. Os soldados Navajos ajudaram os Aliados com o criação de um código encriptado baseado na língua Navajo. Como não existia um dicionário Navajo 🙂 o código era indecifrável para os alemães e japoneses.

Como agradecimento aos Navajos, Ronald Reagan instituiu o Navajo Code Talkers Day no dia 14 de agosto. Se quiser saber mais sobre esse fato dê um pulinho no Burger King da cidade de Kayenta onde estão orgulhosamente expostos muitos objetos sobre o assunto.

Outro detalhe importante sobre o Monument Valley: não é um vale mas um platô onde a erosão de milhões de anos criou formações de arenitos impressionantes.

Monument Valley

O cartão de visita do Monument Valley é uma das paisagens mais famosas do mundo


Onde fica o Monument Valley e como chegar

O Monument Valley fica localizado na divisa entre os estados do Arizona e Utah, a 500 km de Phoenix (aeroporto mais próximo), a 240 km de Arches National Park e a 250 km do Grand Canyon.

O parque é bem menos turístico do que o Grand Canyon, tem pouca infraestrutura hoteleira e poucas áreas urbanas nas redondezas.

A maneira mais rápida e prática para chegar até o parque é de carro. A viagem longa vai premiar você com uma atração extra: quilômetros de paisagem de tirar o fôlego. Vindo do norte, ou seja, de Bluff ou Mexican Hat, pela rodovia Us-163, a um certo ponto da descida, você vai dar de cara e ao vivo com aquela imagem vista mil vezes antes: as formações rochosas do Monument Valley. Pare no acostamento e se emocione. Nada é mais espetacular do que a força da natureza.

O mirante mais badalado nesse trecho é o Forrest Gump Point, exatamente o ponto em que Forrest Gump parou de correr. Nesse ponto, a mais ou menos 10 km do Monument Valley, a rodovia é uma reta perfeita. Se quiser parar lá, eis o mapa da mina: chegando pelo norte, o mirante fica nas imediações do marco quilométrico “13”. Ao lado tem um pequeno acostamento super concorrido. Se tiver lotado não desanime, vá em frente e pare no próximo. Não muda nada.

guia do Monument Valley

Chegada no Monument Valley pela Highway US-163 (lembra de Forrest Gump?)


Guia do Monument Valley

O que fazer no Monument Valley? Eu diria nada, além de passear, de carro ou com um tour organizado. O lugar vai provocar tantas emoções que não precisa fazer mais nada além de curtir o panorama e fotografar, fotografar, fotografar… para nunca mais esquecer. Confira as minha dicas.

As formações rochosas

No meio do imenso deserto avermelhado encontram-se as gigantescas formas de arenito denominadas “Buttes” ou “Mesas”. As Mesas são mais largas do que altas, enquanto que as Buttes são mais altas do que largas. São as atrações do parque e muitas delas tem nomes engraçados como Three Sisters, The Thumb, Elephant Rock, The Sleeping Dragon e John Ford’s Point.

Monument Valley

O famoso John Ford’s Point. Até quem não gosta de western vai curtir demais a vista.


Three Sisters-Monument Valley

O ponto “Three Sisters”


Quanto custa

A entrada para um carro com até 4 pessoas custa 20 dólares. Como o Monument Valley não é um parque nacional, lá não vale o American the Beautiful Annual Pass. Pagamento diretamente na entrada.

Horário de Funcionamento

1 abril – 30 setembro | todos dos dias , 6:00 – 20:00

1 ottobre – 30 marzo | todos os dias, 8:00 – 17:00

O circuito para carros particulares fecha um pouco antes.

Confira no site oficial os dias de fechamento (geralmente 25.12, 01.01, Ação de Graças).

Como visitar

O parque oferece duas opções:

  • de carro por conta própria (não precisa ser 4×4),
  • visita com guia Navajo, a pé, de van, de jipe ou a cavalo (algumas excursões têm saídas de cidades próximas como Flagstaff e Sedona).

Eu escolhi a primeira. O circuito é feito pela Valley Drive (27 km, não asfaltada) que passa ao lado das 11 principais formações rochosas do parque. O trajeto indicado pelo parque dura mais ou menos 3 horas, dependendo do número de paradas que você fizer. O ideal é dormir nas imediações do parque e programar a visita pela manhã.

Quem quiser ir além da visita tradicional, tem que contratar um tour guiado pelos Navajos. Por exemplo não é permitida a entrada no parque por conta própria antes do amanhecer nem depois do anoitecer. Então nada de fotografias icônicas do nascer ou pôr do sol sem pagar.

Têm várias opções de horário e passeios. Alguns duram até o dia inteiro. A vantagem do tour organizado é o acesso garantido em áreas restritas do parque, chegando até a entrar nos vilarejos Navajo para conhecer os usos e costumes da população.

De carro no Monument Valley

Olhe para o tamanho do carro para entender a imensidão do Monument Valley


Onde ficar

A cidade mais próxima de Monument Valley é Kayenta onde encontram-se algumas opções de hospedagem. Quem quiser ficar dentro do parque pode escolher somente entre The View e Goulding’s Lodge (com uma ala separada chamada Goulding’s Suites, onde eu fiquei).

A vantagem de ficar dentro do parque é a vista. E não é pouco. Principalmente o The View fica numa posição privilegiada, na frente do cartão postal do parque.

Valley Drive - Monument Valley

Uma surpresa em cada curva da Valley Drive


Informações úteis

  • dentro do parque não tem água, lanchonete ou banheiro;
  • durante o verão, o território Navajo segue o horário de verão, ou seja, uma hora a mais em relação às cidades vizinhas do Arizona. Preste atenção principalmente quando marcar o tour guiado;
  • no inverno e à noite faz frio;
  • as opções de restaurantes nas redondezas são limitadas; melhor optar por refeições no hotel.

Lins úteis

Site oficial do circuito dos parques NavajoParques Navajo

Página oficial do Monument Valley | Monument Valley



Guarde no Pinterest para ler depois

Monument Valley

 


 

2 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *