Roteiro em Catânia entre os monumentos UNESCO


Catânia é uma daquelas cidades “úteis” como base para bate e volta. Ali pertinho fica o vulcão Etna além da badaladíssima Taormina. E a cidade – apesar dos seus belíssimos monumentos UNESCO – acaba sendo sacrificada. Sabendo disso eu montei um roteiro em Catânia, redondinho, somente de um dia, para dar tempo de encaixar todas as visitas que você pretende fazer na Sicília.

E aí vai surgir a pergunta: vai dar tempo? Eu fiquei três dias, por exemplo, e achei mais do que suficiente, e ainda consegui incluir um dia em Taormina. É uma questão de prioridade. Se você vai ficar 10 dias na Sicília e quer visitar  cidades como Palermo, Siracusa, Agrigento, Cefalú…acho que um dia um Catânia vai ser suficiente. Por falar nisso aqui no blog tem mais artigos sobre a Sicília.

>> Roteiro entre Trapani e Marsala

>> Um continente chamado Palermo


Duas palavrinhas sobre Catânia

Catânia, a segunda maior cidade siciliana, fica situada aos pés do vulcão Etna, no litoral leste da Sicília, entre Messina e Siracusa. Fundada no século VIII a.C., durante a colonização grega da ilha, e dominada em seguida pelos romanos, bárbaros, mouros, normandos… Enfim, como tantas cidades italianas, Catânia é uma síntese de culturas e tradições milenárias.

Durante os séculos foi atingida por erupções vulcânicas e terremotos violentos que destruíram infelizmente muitas partes da antiga colônia grega. Depois do terrível terremoto de 1693, o centro histórico foi quase completamente reconstruído em estilo barroco, e hoje é reconhecido como Patrimônio Mundial da UNESCO.

Roteiro em Catânia de 1 dia

Digamos que  a principal atração de Catânia é o conjunto de monumentos barrocos que, por sinal, ficam localizados todos próximos, tornando a cidade ideal para uma visita de um dia. Os monumentos Unesco são assinalados com um asterisco.

Um roteiro mínimo indispensável tem que começar na praça principal, a Piazza del Duomo*  que abriga os três monumentos mais famosos da cidade:

  • Cattedrale di San’Agata* (ou Duomo di Catania): obra-prima barroca. Construída pela primeira vez no fim do ano 1000 mas reconstruída várias vezes depois dos terremotos; do outro lado da rua fica a Chiesa della Badia di Sant’Agata*.
  • Fontana dell’Elefante: monumento de meados de 1700. A característica da fonte é o elefante na ponta da coluna! É o símbolo de Catânia, fica no meio da Piazza del Duomo;
  • Fontana dell’Amenano: ao lado da praça, antes do pitoresco mercado do peixe. Construída em mármore de Carrara por volta de 1867. A água da fonte cai no rio que passa embaixo da praça. Muito interessante.
Fontana dell'Elefante

Fontana dell’Elefante: o elefante é o símbolo de Catânia e a praça é o centro do bate-papo dos cataneses


Depois do passeio na praça, as opções de itinerário são duas. À esquerda, passando pela Via Vittorio Emanuele II, ficam as ruínas do antigo Teatro Romano, construído no século II d.C, e o Castello Ursino construído no século XIII por Frederico II. O castelo foi usado como sede do Parlamento e residência dos monarcas Aragão. O Castelo abriga um museu que conta a história de Catânia. O teatro e o castelo não fazem parte do acervo UNESCO, mas vale a pena dar um pulinho até lá.

Teatro Romano de Catânia

Teatro Romano de Catânia


Castello Ursino

A fachada do Castello Ursino


Volte pela Via Crociferi*, a que mais gostei em Catânia, passando na frente das igrejas Chiesa di San Benedetto*, Chiesa San Francesco Borgia* e Chiesa San Giuliano*.Vire à direita nas escadarias da Via Alessi e volte para o centro passando ao lado da Basilica della Collegiata*, uma maravilhosa igreja barroca, com uma fachada semicircular, bem sui generis.

Cruze a Via Etnea, a mais importante da cidade, para ir até o Teatro Bellini, a ópera de Catânia, onde dizem que tem a melhor acústica do mundo. Tinha esquecido de escrever que o compositor Bellini nasceu em Catânia.

Chiesa di San Giuliano

Chiesa di San Giuliano: mais uma igreja barroca na Via dei Crociferi


Basilica della Collegiata

Basilica della Collegiata: na minha opinião é a igreja mais bonita de Catânia


Teatro Bellini

Teatro Bellini em Catânia


Voltando para a Via Etnea, a próxima atração é a praça da Universidade, ou Piazza dell’Università, uma senhora praça onde fica o Palazzo dell’Università, sede do Reitorado. A praça é muito ampla e, na minha opinião, ainda mais bonita do que a Piazza del Duomo.

Ainda mais na frente, na Piazza Stesicoro, encontra-se o Anfiteatro Romano. Desculpem o repeteco: mais uma praça maravilhosa.

O roteiro em Catânia pode acabar no famoso jardim Giardino Bellini. Na frente, ficam duas confeitarias icônicas, uma ao lado da outra, a Pasticceria Savia e a Pasticceria Spinella. Quem gosta de doces e salgados sicilianos – come eu – não pode deixar de parar para um lanche rápido.

Não conhece ainda a culinária de Catânia? Então clique aqui para ler o post que já publiquei sobre o assunto.

Roteiro em Catânia

Via Etnea, a rua dos monumentos (e das lojas) de Catânia


Como chegar em Catânia

De avião | O aeroporto de Catânia tem vôos para as principais cidades italianas. Visite o site oficial para maiores informações.

De trem O transporte ferroviário é pratico se você já estiver na Sicília. Caso contrário, eu aconselho o avião. Visite o site oficial da companhia Trenitalia para consultar preços e horários.

De carro | Catânia fica a 95 km de Messina a e 195 km de Palermo. Pode ser uma boa planejar uma road trip na ilha, com parada em várias cidades.


Guarde no Pinterest para ler depois

Catânia

2 respostas
  1. Fernanda
    Fernanda says:

    Oí, estou planejando minha primeira viagem na Sicília em março, estou adorando as dicas do blog.
    Você acha que a melhor solução é alugar um carro? E as temperaturas nessa época?
    Obrigada

    Responder
    • Adelaide
      Adelaide says:

      Olá Fernanda,
      viajar de carro é uma boa na Sicília. É bem mais prático.
      A Sicília é bem mais quente do que o resto da Itália mas março é fim de inverno. Leve agasalho para a noite e para os dias nublados.
      Boa viagem

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *