Pienza

Roteiro em Pienza, a cidade ideal tombada pela Unesco


Por que um roteiro em Pienza quando temos as célebres vizinhas Montalcino e Montepulciano? Simples, porque Pienza é uma daquelas cidadezinhas toscanas que nasceram para encantar o viajante. A paisagem bucólica, a posição panorâmica, a história…enfim, uma parada quase obrigatória onde muitos turistas – estranhamente – não vão… Ainda mais porque a cidade é patrimônio Unesco desde 1996 por um motivo muito peculiar: é um raríssimo exemplo de “cidade ideal“, o modelo urbanístico concebido durante o Renascimento.

E como se não bastasse, a cidade é a capital do queijo “Pecorino di Pienza” um dos melhores produtos gastronômicos da Toscana (e da Itália). E, cereja do bolo, a cidade fica numa posição estratégica, a 50 km de Siena e a 20 km de Montalcino, no coração do Val d’Orcia, o vale produtor de vinhos (também) tombado pela Unesco.

Pienza

Porta al Murello, uma das entradas de Pienza


Pienza, a cidade ideal

Pienza é um bibelô renascentista criado por decisão de Enea Silvio Piccolomini, rico e culto eclesiástico, eleito Papa Pio II em 1458.

A história é muito simples: de volta a Corsignano, sua cidade natal, depois de 40 anos de ausência, o Papa encontra o vilarejo medieval em decadência. Decide então de encarregar um dos melhores arquitetos do Renascimento,  Bernardo Gambardelli, vulgo il Rossellino, de reformar completamente o antigo burgo segundo o conceito renascentista da “cidade ideal” que remete à interação perfeita e utópica entre o homem e a natureza.

Em quatro anos foram construídos os principais monumentos da cidade: a Catedral, o Palácio Piccolomini, a atual sede municipal e a praça central, Piazza Pio II. E Pienza, em homenagem a Pio, foi o nome escolhido para esse pequeno tesouro artístico.

Os edifícios do centro apresentam formas equilibradas e harmoniosas, típicas da busca da perfeição geométrica e estética do período renascentista. As tonalidades de rosa claro, bege e creme dos mármores contrastam com os tons de ocre das fachadas em pedras nos becos e vielas que atravessam as praças e as ruas principais.

Com a morte repentina de Pio II, a reconstrução foi interrompida e Pienza ficou intacta desde então, exatamente como era em meados de 1400. Visita-la é uma viagem no tempo.

Pienza

A simplicidade elegante da “cidade ideal”


Pienza

O calçadão debruçado no Val d’Orcia


Roteiro em Pienza

O roteiro em Pienza dura 2 ou 3 horas, ou mais um pouco, se você incluir uma pausa gastronômica em dos muitos bistrôs e restaurantes da cidade. Cairia bem até um pernoite para explorar melhor os arredores e visitar uma vinícola.

A visita começa na Porta al Murello, construída no século XIV mas destruída em 1944 durante a Segunda Guerra Mundial. Do lado direito fica o quiosque de informações turísticas.

Na Porta começa a rua principal, o Corso Rossellino, em homenagem ao arquiteto. É a rua das lojinhas, dos bares e dos empórios gourmet. Estreita e exclusivamente para pedestres, é ladeada por edifícios típicos toscanos, muitos revestidos em pedras. As travessas do Corso tem nomes pra lá de pitorescos: Via dell’Amore (rua do amor), Via del Bacio (rua do beijo), Via della Fortuna (rua da sorte)….

Mais ou menos na metade do Corso fica o Palácio Piccolomini e, logo em seguida, a famosa praça Piazza Pio II, onde precisa parar. Sem desculpas. Ali você vai ser catapultado em meados de 1400 (no sentido literal) porque nada mudou. Feche os olhos e sonhe… Na Itália, a viagem no túnel do tempo é possível.

Catedral Santa Maria Assunta, o Duomo di Pienza, fica em uma posição privilegiada, estudada para impressionar os passantes. Projetada por Bernardo il Rossellino em estilo renascentista, apresenta porém alguns detalhes góticos na parte de dentro. A belíssima fachada é revestida de mármore travertino, como outros edifícios da cidade.

No lado direito da praça fica o Palácio Piccolomini, a residência de “veraneio” do Papa projetada pelo nosso amigo Rossellino e construída em 1459. O Palácio foi a residência dos herdeiros do Papa Pio II durante longos anos (além de cenário do filme Romeu e Julieta de Zefirelli).

Do lado esquerdo fica o Palácio Borgia, mais uma obra de Rossellino, que hoje em dia abriga o Museu Diocesano. Reza a lenda que Pio II deu o palácio de presente ao Cardeal Borgia, para vigiá-lo de perto, mesmo durante as férias. Se ainda não caiu a ficha, lembro que o cardeal seria o futuro Papa Borgia, pai de Lucrezia Borgia, e um dos personagens mais “inquietos” da história da igreja católica.

Na frente da catedral fica o antigo Palácio Municipal, talvez outra obra de Rossellino, mas reformado em 1900.

Imperdível também é o passeio romântico e panorâmico por trás da catedral, com vista do Monte Amiata, vulcão extinto, que domina as sinuosas colinas em tons de verde e amarelo do Val d’Orcia.

Mas antes de fechar seu roteiro em Pienza, eu aconselho um pit stop gastronômico para experimentar o Pecorino di Pienza :)

Catedral de Pienza

A Catedral de Pienza, exemplo do estilo renascentista


roteiro em Pienza

O Palácio Municipal


roteiro em Pienza

O famoso Pecorino di Pienza, produzido completamente com leite de ovelha


Informações úteis

Estacione fora das muralhas da cidade, nas áreas assinaladas, para evitar multas.

Site oficial do Palazzo Piccolomini | http://www.palazzopiccolominipienza.it/

Site oficial do Museu Diocesano | http://palazzoborgia.it/


Guarde no Pinterest para ler depois

Pienza

12 replies
    • Adelaide
      Adelaide says:

      Olá Ana Paula,
      fica pertinho entre Montalcino e Montepulciano, onde tudo mundo vai. Mas acho que vale super a pena ir até lá porque a cidade é uma fofura (e a estrada é linda, prepare a máquina fotográfica)! Se precisar de dicas entre em contato. Acabei de chegar de lá.
      p.s. se gostar de arquitetura, prepare-se para conhecer um raro exemplo de “cidade ideal” do Renascimento
      Abs

      Reply
  1. Michela Borges Nunes
    Michela Borges Nunes says:

    Que lindo lugar! Já amei por ser capital do queijo, heheheh, adoro. E olha, fomos em Siena e Montalcino e acredita que eu nunca tinha ouvido falar de Pienza? Ah que pena. Mas está anotado para uma próxima.

    Reply
  2. Cynara Vianna
    Cynara Vianna says:

    Olá conterrânea, não nasci aqui mas moro em Recife, sou do interior… mas olha, alugamos carro 2 vezes pra viajarmos pela Toscana e não vimos tudo que queríamos, lendo seu post descobri mais uma cidade para a lista da próxima viagem.

    Reply
    • Adelaide
      Adelaide says:

      Olá Cynara,
      eu nasci em Recife mas moro na Itália há 30 anos :)
      Já estive na Toscana várias vezes e sempre descubro cidades novas que merecem uma visita. Pienza é uma delas, até porque é patrimônio Unesco.
      Abs

      Reply
  3. Cristina
    Cristina says:

    Que linda! Não conhecia essa cidade. Já estive na região, mas deixei passar Pienza. Amo patrimônios da Unesco e agora Pienza está na minha lista. Dica anotada!

    Reply
    • Adelaide
      Adelaide says:

      Oí Cristina,
      a solução é voltar para conhecer Pienza. Não fica longe de Montalcino. E aproveite para dar uma esticadinha até San Quirico.
      Abs

      Reply
  4. Juliana Moreti
    Juliana Moreti says:

    Deixei Pienza para uma pròxima… Cheguei a colocar no meu roteiro quando morava em Genova, mas tive que tirà-la…. Assim como outras vizinhas.
    Nao sabia que existia aì uma casa dos Borgia!

    Reply
    • Adelaide
      Adelaide says:

      Oí Juliana,
      na Toscana é difícil conhecer tudo sem ficar vários dias. É uma fofura atrás da outra. O jeito é voltar mais de uma vez.
      Abs

      Reply

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.